24.3 C
Rondonópolis
, 22 maio 2024
 
 

Papo Político

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img


 

Prefeito Zé do Pátio: “Passando por momentos conturbados na gestão, perdeu a linha na FM 104 e escandalizou os ouvintes com muita gritaria…”

1- SENHORAS E SENHORES,

Rondonópolis, sem dúvidas, viverá novos tempos a partir do primeiro dia do ano de 2025, e o PAPO garante isto por qualquer que seja o candidato eleito, pois pelos perfis dos pré-candidatos já colocados, todos demonstram ter capacidade superior ao do atual administrador para gerir o nosso rico município, com seu exuberante orçamento de 2,5 bilhões. É de se acreditar que o eleitorado saberá escolher um melhor CEO para comandar esta sua “empresa”, pois chega de amadorismo na principal cadeira do Palácio da Cidadania.

2- A COLUNA CONTINUA

achando que o prefeito Zé do Pátio, ao contrário do que prega, não quer mesmo eleger o seu sucessor. Foi mais uma semana repleta de acontecimentos negativos, para citar alguns: Diante da forte chuva que caiu na quarta-feira, 10, foram inundações pelos quatro cantos da cidade, levando muita gente aos transtornos, e a tradicional da Av. Presidente Médici, arrancou este comentário de um transeunte, parado a observar:

“Bem que o Zé do Pátio poderia construir uma praça aqui, e nem irrigação precisaria fazer”; E por falar em fazer praças, diante da crise na Saúde, principalmente com o caos no Pronto Atendimento Infantil, também foi sugerido ao prefeito, por uma mãe, “desviar alguma verba das praças para o setor da Saúde”; E precisa transtorno maior do que o vivido pelos contribuintes às vésperas do prazo final de pagamento do IPTU, dia 10? Foram erros de toda ordem nos boletos e, como em outros casos anteriores, a Prefeitura colocou a culpa no famoso “novo” Sistema eletrônico, que vem errando muita coisa desde o ano passado.

O jeito foi prorrogar o vencimento para o dia 30, a pedido dos vereadores; E para fechar a semana, o Ministério Público Estadual, com dados da Secretaria Estadual de Saúde, divulgou o ranking vacinal no Estado, e a nossa querida Rondonópolis figura entre os municípios com as piores coberturas, o que justifica a situação de “guerra” vivenciada nos seus postos de Saúde superlotados de gente com toda tipo de doenças.

SENHORAS E SENHORES,

é tendo que administrar toda esta crise na reta final do seu mandato que justifica o destempero do prefeito Zé do Pátio, que deve ter passado a noite de quarta-feira como um zumbi, sem dormir, e logo pela manhã se dirige, mesmo sem ser convidado, para a Radio FM 104, invade o programa dos filhos da terra, Lucas Perrone e Victor Santos, e aos berros começa brigar contra todos…

Podemos imaginar a impressão deixada em pessoas, passando pela cidade com o rádio ligado, e que acabou sintonizando a 104? Não devem ter entendido nada. No final sobrou para o A TRIBUNA, para os quatro deputados estaduais, principalmente os dois pré-candidatos Thiago Silva e Claudio Ferreira (os principais alvos) e até mesmo para o apresentador Victor Santos, que teve que se controlar diante da gritaria do Zé do Pátio, que queria lhe tirar o comando do programa.

3- O DURO PARA O ZÉ

é que com o fim da janela partidária na última sexta-feira (5), a Câmara Municipal de Rondonópolis ganhou uma nova formação política de partidos e bancadas, conforme os leitores do A TRIBUNA estão muito bem informados pelas nossas reportagens. Dos 21 vereadores, apenas cinco não mudaram de partido em relação à eleição de 2020, quando foram eleitos.

Ao final da dança das siglas, o partido do prefeito Zé Carlos do Pátio, o PSB, ganhou cinco vereadores e agora é a maior bancada partidária do Legislativo rondonopolitano, com sete parlamentares no total.

Mas isso não quer dizer muita coisa, pelo contrário, pois ele, que governou até aqui com ampla base de sustentação, viu crescer o número de vereados filiados a partidos que apoiam pré-candidaturas de oposição, como a do deputado Thiago Silva (MDB) e a do deputado Cláudio Ferreira (PL).

E assim, a oposição cresceu, pelo menos na teoria, e virou maioria na Câmara Municipal com 13 vereadores distribuídos pelas bancadas do MDB (5), UB (3), PL(3), Republicanos (1) e PSDB (1).

Pátio, que ultimamente já vem sofrendo com seus interesses sendo bloqueados no Legislativo, vai ter mais dificuldades ainda para passar seus projetos, frequentemente polêmicos e “matreiros”, justamente num ano eleitoral, onde a temperatura sobe às alturas. Aliás, o que já vem acontecendo neste ano, quando cada sessão legislativa deixa o nosso prefeito mais nervoso, tendo que acorrer a seus medicamentos faixa preta.

PASSADAS AS MOVIMENTAÇÕES

da janela partidária, os matemáticos e cientistas políticos pantaneiros estão agora com as suas atenções voltadas para as projeções sobre quantos vereadores serão eleitos por cada uma das chapas proporcionais que foram formadas para a eleição do próximo dia 6 de outubro.

Pelo que vem sendo divulgado, os partidos alinhados em torno da pré-candidatura do deputado Thiago Silva formaram cinco chapas. Além do MDB, também formou chapa de pré-candidatos o União Brasil, Republicanos, PRD e AGIR.

A aliança que deve apoiar o deputado Cláudio Ferreira também formou cinco chapas: PL, Federação formada pelo PSDB e Cidadania, Podemos, Novo e DC.

Já o grupo do pré-candidato Paulo José (PSB), que é apoiado pelo prefeito Zé do Pátio, que chegou a falar que faria sete chapas, ficou com apenas quatro. Além do PSB, também deve lançar candidatos para a Câmara, o PSD, PP e Federação Rede e Psol.

E poderá ter ainda uma quinta chapa, que seria a do PT, que tem como pré-candidato a prefeito o empresário Carlos Ernesto Augusti, o Teti. Mas ai, no caso de haver desistência de um dos dois pretendentes ao Paço Municipal.

CHAMA A ATENÇÃO

as expectativas de eleição de vereadores anunciadas por cada um desses formadores de chapas, que são mais que otimistas, são irreais. O mais engraçado é que parecem se esquecer que são apenas 21 cadeiras, e somando todas as vagas que eles anunciam que vão conquistar chegaremos facilmente a 42… – haja gabinetes no prédio da Câmara!.

Sem querer ser a mãe Dinah, este colunista preferiu conversar com vários matemáticos e cientistas políticos pantaneiros que vivem nesta terra de Rondon para tentar “prever” como ficará a composição da Câmara a partir de 1° de janeiro de 2025.

Todos são unânimes em dizer que as “chapas da morte” são a do MDB, PSB e PL, onde estão 14 vereadores da atual legislatura. Isto significa que muitos deles não retornarão à Casa, e assim vão é contribuir para uma renovação de nomes na Casa de Leis, maior até que na última eleição, de 2020.

O PSB formou uma chapa composta por seis vereadores (Marildes Ferreira, Reginaldo Santos, Cláudia da Farmácia, Batista da Coder, Beto do Amedoim e Kaza Grande) e três ocupantes de cargos do primeiro escalão de Pátio (Vinicius Amoroso, Mara Gleibe e Huani Rodrigues).

Enquanto o grupo do prefeito fala em eleger sete a oito, os nossos cientistas políticos pantaneiros, de calculadora na mão, avaliam que ficará bem distante disso.

Argumentam que para isso acontecer, partindo de uma estimativa de que o quociente eleitoral fique perto dos seis mil votos, teria que fazer mais de 21 mil votos, o que na visão deles será difícil de acontecer numa única chapa. Pois, embora se tenha nomes de peso, a chapa de 22 nomes não tem calda, ou seja, os outros nomes não são tão fortes, com perspectivas de votações pouco expressivas.

Desta forma, a projeção para o PSB é de que pode fazer de quatro a cinco vereadores. Com isso, alguns dos vereadores atuais vão ficar de fora.

O MDB,

que hoje tem a segunda maior bancada da Câmara e fala em eleger até sete, também formou uma chapa pesada, composta por cinco vereadores (Adonias Fernandes, Investigador Gerson, Adilson do Naboreiro, dr. Jonas Rodrigues e Dico Sodré) e mais quatro ex-vereadores (Fulô, Mariúva, Fábio Cardozo e Ibrahim Zaer).

Ao contrário do PSB, a chapa emedebista tem uma cauda mais expressiva. Desta forma, as projeções são de que a sigla emedebista fará de cinco a seis vereadores. Assim tem o risco de, pelo menos dois dos atuais cinco vereadores, não conseguirem renovar o mandato nas urnas este ano.

JÁ O PL,

que conta com três vereadores (Kalynka Meirelles, Paulo Schuh e dr. José Felipe Horta) e dois ex-vereadores (Rodrigo da Zaeli e Jailton do Pesque e Pague), também não deverá atingir a expectativa de eleger cinco vereadores. Isto porque, a chapa também sofreria do mesmo mal do PSB, não tem uma calda volumosa. Assim, os analistas prevêm que dos três vereadores atuais, ao menos um deverá ficar de fora.

OUTRA CHAPA

que conta com três vereadores é a do União Brasil (Roni Cardoso, Ozeas Reis e Cido Silva). A chapa, que fala em eleger de dois a três, conta ainda com o suplente dr. Manoel e a ex-secretária de Educação de Pátio, Carmem Garcia. As projeções para o UB é de um a dois. Neste caso, já dão praticamente certo que ao menos um vereador não será reeleito.

OS ANALISTAS

calculam ainda que o PT, que forma a Federação com o PV e PCdoB, que tem hoje o presidente da Câmara, vereador Júnior Mendonça, deve fazer dois, podendo até brigar por uma terceira vaga, já que conta com uma chapa equilibrada.

A OUTRA FEDERAÇÃO,

formada por PSDB e Cidadania, que tem o vereador subtenente Guinancio, os analistas “contratados” pelo PAPO veem sérios riscos de não fazer vereador. O mesmo, analisam eles, pode ocorrer com a federação Rede e PSol, além de PSD, PP e Agir.

OUTROS DOIS PARTIDOS

devem fazer um vereador. É o caso do Republicanos, que tem o vereador Marisvaldo Gonçalves e a ex-secretária de Saúde de Pátio, Izalba Albuquerque; e o PRD, que não tem vereadores, mas também montou uma chapa equilibrada, formada por nomes que já disputaram eleição e tiveram boas votações.

ESTAS SÃO AS PRIMEIRAS

projeções dos nossos analistas, e calculistas, mas sempre lembrando que a situação pode ser alterada com o avançar da campanha, e novas projeções virão em breve. Aguardem, queridos leitores do PAPO.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

A melhor idade é aquela em que apaixonamos. Os noivos Sirlei Libânio e Celso José Bressan disseram “SIM”. O...
- Publicidade -

- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img