14.2 C
Rondonópolis
, 15 julho 2024
 
 

Novos ares: Vice-prefeito oficializa saída do PSD

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
O vice-prefeito Aylon Arruda formalizou, no fim de semana, a sua saída do PSD (Foto – Arquivo)

O vice-prefeito de Rondonópolis, Aylon Arruda, oficializou a sua desfiliação do PSD. Em nota divulgada em suas redes sociais, Arruda não revela qual será o seu destino partidário. Contudo, como o próprio já admitiu para o A TRIBUNA, deve ser o Republicanos do ex-prefeito Adilton Sachetti.

Aylon Arruda aproveitou o momento para fazer um balanço da sua trajetória na sigla e na vida pública, iniciada em 2020 como candidato a vice na chapa do atual prefeito Zé Carlos do Pátio (PSB).

Ele alega que a decisão de deixar o partido, onde se filiou em 2016, foi tomada após a direção estadual “impor um alinhamento dos diretórios municipais (PSD) ao projeto nacional do PT”.

O PSD em Mato Grosso é presidido pelo ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, que tem pretensões de concorrer ao governo do Estado em 2026 e trabalha a construção deste projeto alinhado ao partido do presidente Lula (PT).

É dentro deste contexto que Aylon vinha, até o final do ano, trabalhando a sua pré-candidatura a prefeito dentro das chamadas “forças progressistas”, que reúne siglas que dão sustentação ao governo de Pátio e mais a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB).

O distanciamento de Aylon deste grupo se deu a partir de uma reunião, no início deste ano, numa fazenda do Teti, que contou com a presença do ministro Carlos Fávaro e se discutiu a formação da chapa dos “progressistas”.

Na reunião, acabou ficando claro que dificilmente ele teria espaço para a construção de sua pré-candidatura dentro deste grupo.

 

 

———— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Aylon, então, se distanciou dos “progressistas” e se aproximou do grupo do ex-prefeito Adilton Sachetti e do deputado Thiago Silva (MDB), ambos pré-candidatos a prefeito e que vêm buscando costurar uma ampla aliança para enfrentar, na eleição deste ano, o candidato apoiado pelo prefeito.

Diplomático, Arruda diz que continua respeitando o ministro Carlos Fávaro, “independente das posições e visões divergentes”.

Embora esteja oficializando que não estará no mesmo projeto de Pátio na eleição deste ano, ele afirma na nota que continuará como vice-prefeito até o final do mandato, em 31 de dezembro.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

ECA, 34 anos: proteção digital de crianças é principal desafio

Criado para garantir direitos e a proteção de pessoas com menos de 18 anos, o Estatuto da Criança e...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img