Bolsonaro voltou a falar que o governo irá trabalhar a correção na tabela do Imposto de Renda. Segundo ele, o percentual ainda não foi definido, mas a mudança está “garantida”. Este é o sétimo ano seguido em que a tabela não é ajustada.

Também não houve aumento nas deduções permitidas, como aquelas relacionadas a dependentes ou à educação. Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o atual titular do Palácio do Planalto disse que a tabela do Imposto de Renda vem se transformando em “redutor de renda”.


PISO DA ENFERMAGEM

O Presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, sancionou nesta quinta-feira (04/08) o projeto de lei que estabelece um piso salarial para enfermeiros no valor de R$ 4.750 mensais. A Secretaria Geral da Presidência não informou se houve vetos. A sanção será publicada no Diário Oficial da União (DOU) hoje (05/08).

O texto foi aprovado pelo Senado Federal em novembro do ano passado e pela Câmara dos Deputados em maio deste ano. Apesar disso, na época, o texto não chegou a ser enviado para análise da Presidência da República, que tem poder de veto sobre projetos aprovados por parlamentares.


COMBUSTÍVEL

O presidente Bolsonaro disse esperar que a Petrobras anuncie novas reduções no preço dos combustíveis. A petroleira anunciou a redução de R$ 0,20 no preço do diesel.

“Então, a Petrobras, com a nova direção, com novo presidente agora, anuncia a primeira redução no preço do diesel. Parabéns aí à Petrobras. Já haviam reduzido nas últimas duas semanas R$ 0,35 no preço da gasolina lá na refinaria. A gente espera que outras reduções aconteçam aí na nossa Petrobras”, afirmou, em live nas redes sociais.


SEM AMEAÇAS

O reclamou, nesta quinta-feira (04/08) por ser ameaçado de prisão quando deixar o cargo. A declaração ocorreu em discurso durante uma agenda com pastores evangélicos, em São Paulo.

Nesta semana foi revelado, segundo apurou a coluna, que Bolsonaro tem relatado a aliados o que enxerga como uma conspiração para levá-lo à prisão num cenário de derrota em sua tentativa de reeleição.


MAIS POBRE

Após quatro anos sem mandato parlamentar, o ex-senador Romero Jucá (MDB) declarou à Justiça Eleitoral ter ficado mais “pobre” entre as eleições de 2018 e 2022. Candidato ao Senado este ano, Jucá afirmou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) possuir um patrimônio de R$170,1 mil, sendo R$ 50 mil em dinheiro em espécie.

No pleito de 2018, quando tentou se reeleger, sem sucesso, ao Senado, o emedebista declarou patrimônio R$ 194,8 mil, sendo R$ 150 mil em papel moeda.


DESISTIU

O deputado federal André Janones (Avante-MG) anunciou, sua desistência da candidatura à Presidência da República e decidiu apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT ao Palácio do Planalto.

O anúncio foi feito por meio de uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, com Lula, após uma reunião em São Paulo. Os dois se encontraram na nova sede da campanha petista, no bairro Higienópolis, em São Paulo.


PODEMOS, SIM

O Podemos decidiu apoiar Simone Tebet, do MDB, na corrida à Presidência. O partido chegou a ser procurado por Soraya Thronicke, do União Brasil, que ofereceu a vice ao general Santos Cruz. As tratativas, no entanto, não prosperaram.

Antes de optar pelo apoio a Tebet, o Podemos também ensaiou lançar o senador Álvaro Dias ao Planalto. O parlamentar, no entanto, optou por disputar a reeleição ao Senado.


DOIS TERRENOS

Um dos deputados federais que mais aparece ao lado de Jair Bolsonaro, Hélio Bolsonaro, que o presidente chama de Hélio Negão, comprou dois terrenos, cada um no valor de R$ 18 mil, desde que assumiu o mandato em Brasília, em janeiro de 2019.

Antes de assumir o mandato, eleito como deputado pelo Rio de Janeiro, o militar havia disputado quatro eleições (2004, 2014, 2016 e 2018) e, em nenhuma delas, havia declarado posses.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui