27.5 C
Rondonópolis
, 19 maio 2024
 
 

Suspeitos da morte de PM em Pedra Preta: Três são presos e um é morto durante operação policial

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis, desencadeou ontem (25), a Operação Black Stone, para cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão e de prisão em Rondonópolis, Pedra Preta e Cuiabá, contra alvos envolvidos no assassinato do sargento da Polícia Militar, Djalma Aparecido da Silva, de 47 anos, morto no dia 22 de janeiro na cidade de Pedra Preta.

Três pessoas foram presas, sendo uma em Rondonópolis e duas em Pedra Preta. Um quarto alvo de mandado de prisão, identificado como Graciel da Silva Muniz, 29 anos, acabou morrendo em confronto com os agentes da Gerência de Operações Especiais (GOE) no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

Segundo a polícia, os policiais foram até o endereço do suspeito na Capital para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão. Ele teria reagido a abordagem e acabou baleado. O suspeito chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Além de quatro mandados de prisão, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em Rondonópolis, Pedra Preta e Cuiabá.

 

 

———— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

A investigação conduzida pela Derf de Rondonópolis chegou às identidades dos responsáveis pelo monitoramento e vigilância da vítima, tanto em Pedra Preta, no dia do crime, quanto no município de Alto Taquari, onde o policial militar também prestava serviço. A Polícia Civil informou que identificou ainda os responsáveis pela execução direta do crime e apoio operacional para a ação criminosa.

O delegado Santiago Sanches explicou que a operação é a segunda etapa da investigação para identificação da autoria e da materialidade delitiva e reunir informações para subsidiar as próximas etapas da apuração criminal.

“As investigações continuarão até a identificação de todos envolvidos, incluindo mandantes do crime contra o policial militar, e a motivação para o crime”, relatou o titular da Derf, acrescentando que a investigação está sob sigilo.

A Operação Black Stone contou com apoio das equipes da Delegacia de Pedra Preta, Delegacia Regional de Rondonópolis, Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Gerência de Operações Especiais e Diretoria de Inteligência da Polícia Civil.

O crime

O sargento da Polícia Militar, Djalma Aparecido da Silva, de 47 anos, foi morto no dia 22 de janeiro na cidade de Pedra Preta. Ele foi atingido por disparos no rosto enquanto caminhava na calçada do centro de eventos da cidade.

O militar prestava serviço nas cidades de Alto Garças e Alto Taquari, mas residia com a família em Pedra Preta. O veículo usado pelos autores do crime, um modelo Renault Sandero, foi encontrado, incendiado, horas depois, no bairro Morumbi.

Primeira prisão

Na primeira fase investigativa foi preso um dos participantes do homicídio. No dia 28 de janeiro, P.R. da S.F. foi preso pelas equipes da Derf de Rondonópolis e Delegacia Regional.

Ele teve a prisão temporária decretada pela Vara Única de Pedra Preta após ser identificado nas investigações como a pessoa responsável pelo veículo usado no crime. Ao ser preso, o investigado quebrou seu celular jogando o aparelho contra o chão.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Carlos Bezerra é internado em UTI após cair e bater a cabeça; quadro é estável

O ex-deputado federal e presidente estadual do MDB, Carlos Bezerra, deu entrada no Hospital São Matheus, na Capital, na...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img