25.8 C
Rondonópolis
, 19 maio 2024
 
 

Brincadeiras e Jogos: Estimulando as Crianças com Transtorno do Espectro Autista

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img

(*) Ana Maria
(*) Carla Andressa
(*) Clarice Rodrigues
(*) Gislaine Schon
(*) Jusenir Batista
(*) Simone Giacomolli

Ao refletir sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), entende-se que cada criança com TEA é única, e suas necessidades e habilidades variam amplamente. No entanto, uma abordagem que tem se mostrado eficaz para auxiliar no desenvolvimento de crianças com TEA é a incorporação de brincadeiras e jogos em suas vidas cotidianas.

Brincar é uma parte fundamental do desenvolvimento infantil, e isso não é diferente para crianças com TEA. (QUEIROZ, 2005) As brincadeiras e os jogos podem ser poderosas ferramentas terapêuticas, proporcionando oportunidades para o desenvolvimento de habilidades sociais, comunicação, interação e resolução de problemas. (CARVALHO, 2005)

Para crianças com TEA, as brincadeiras e jogos podem se revelar uma ferramenta poderosa e eficaz no seu desenvolvimento. Estas atividades oferecem oportunidades inovadoras para o crescimento e aprendizado, ao mesmo tempo que adquiriram uma experiência divertida e inclusiva. (DANTAS, 2002) O papel das brincadeiras e jogos no desenvolvimento de crianças com TEA e como eles podem ajudar a promover habilidades sociais, cognitivas e emocionais de maneira significativa.

A educação e o desenvolvimento das crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) podem ser enriquecidos e aprimorados por meio de atividades lúdicas, jogos e brincadeiras específicas que levam em consideração suas necessidades e preferências. (DANTAS, 2002) Com uma abordagem adequada e sensível, é possível criar experiências divertidas e inclusivas para essas crianças, promovendo o desenvolvimento de habilidades sociais, cognitivas e emocionais de maneira positiva e eficaz.

Em resumo, brincadeiras e jogos desempenham um papel fundamental no desenvolvimento de crianças com TEA. Eles oferecem oportunidades para aprimorar habilidades de comunicação, interação social, resolução de problemas e muito mais. Com paciência, observação e apoio adequado, pais e cuidadores podem ajudar as crianças com TEA a florescerem e desenvolverem seu potencial máximo por meio de brincadeiras e jogos estimulantes.

REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO
BRASIL. Referencial Curricular Nacional Para A Educação Infantil, Brasília: Mec/ Cef, 1998.3v Volume 1: Introdução; Volume 2 Formação Pessoal E Social; Volume 3 Conhecimento de Mundo.
DANTAS, H. O brinquedo e suas teorias. São Paulo: Pioneira, 2002.
CARVALHO, A. O brincar. Belo Horizonte: UFMG, 2005.
KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Froebel e a concepção do jogo infantil. www.revistas.usp.br/rfe/article/download/33600/36338 Acesso em: 24 de março de 2015.
LIRA, Natali Alves Barros, RUBIO, Juliana de Alcântara Silveira. A importância do brincar na educação infantil. Revista Eletrônica Saberes da Educação. Volume 5, n 1, 2014 www.uninove.br/marketing/fac/publicações…/educacao/v5…/Natali.pdf Acesso em 24 de março de 2015.
QUEIROZ, Norma Lucia Neris de. Brincadeira e Desenvolvimento Infantil. Universidade Federal de Minas Gerais. 2003 e 2004. Publicado no Livro Brincares, 1 edição, editora UFMG, 2005.

(*) Ana Maria da Silva, Carla Andressa Santos Muniz, Clarice Rodrigues Santana, Gislaine Schon, Jusenir Batista Montalvão e Simone Giacomolli Turíbio são professoras da Educação Infantil na Rede Municipal de Rondonópolis

 

- PUBLICIDADE -spot_img
« Artigo anterior
Próximo artigo »

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Carlos Bezerra é internado em UTI após cair e bater a cabeça; quadro é estável

O ex-deputado federal e presidente estadual do MDB, Carlos Bezerra, deu entrada no Hospital São Matheus, na Capital, na...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img