24.8 C
Rondonópolis
 
 

Pré-Olímpico: Jogadores fazem atividades para recuperação muscular

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
Seleção Pré-Olímpica realiza treino regenerativo no hotel (Foto – Joilson Marconne/CBF)

Um dia depois da partida contra o Paraguai, na abertura do quadrangular final do Pré-Olímpico, os jogadores da Seleção Brasileira ficaram no hotel da delegação, em Caracas, para um trabalho regenerativo (recovery). Um grupo fez atividades na academia local. E outro, na piscina.

Essa programação visa à recuperação da musculatura dos atletas. Durante a tarde, eles estiveram sob os cuidados dos fisioterapeutas Michel Aguiar e Odir de Souza e do fisiologista Giovanni Bruno.

As técnicas de recovery a que se submeteram os atletas incluíram sessões de massoterapia e fisioterapia, atividades aeróbicas de baixa intensidade e a utilização de bota de compressão pneumática, banheira com gelo e piscina aquecida.

Os massagistas Leandro de Almeida e Marcus Vinícius foram requisitados pelos atletas nesta terça-feira e ajudaram bastante no processo.

O técnico Ramon Menezes, mesmo chateado com a derrota para o Paraguai por 1 a 0, na tarde desta segunda (5), em Caracas, tratou de incentivar a equipe para a continuidade do quadrangular final do Pré-Olímpico. A Seleção enfrentará a Venezuela, nesta quinta (8), e Argentina, no domingo (11). Se vencer as duas partidas, garantirá sua vaga.

“A gente já sabia de toda a dificuldade que ia ser esse jogo com o Paraguai, um jogo de muito contato físico. O Paraguai leva muito perigo em jogadas de bola parada, tem um time que gosta de atacar em profundidade e é forte no jogo de segunda bola. Tivemos um pouco de dificuldade em relação a isso”, declarou Ramon.

Ele lamentou as oportunidades desperdiçadas no primeiro tempo, duas delas de ouro – um pênalti cobrado por Endrick e defendido pelo goleiro paraguaio e uma finalização de John Kennedy, livre na área, cuja bola saiu pela linha de fundo.

“Mesmo com os problemas no primeiro tempo, principalmente na hora da saída de bola, situações em que o Paraguai deixava a gente sair e ao mesmo tempo pressionava, tivemos duas grandes chances para fazer 2 a 0. Ali, talvez, a história do jogo fosse diferente.”

Para o treinador, o quadrangular apenas começou e o tropeço do Brasil pode ser superado – ainda mais por causa do empate entre Venezuela e Argentina por 2 a 2, também nesta segunda-feira, após o jogo da Amarelinha.

“Só depende de nós ainda, temos condições de fazer duas grandes partidas e de vencer os dois jogos, contra Venezuela e Argentina. Vamos seguir no trabalho com esse propósito.”

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Crianças e adolescentes: Evento discute protocolo integrado para atendimento às vítimas sexuais

Promotores de Justiça, juízes, delegados, médicos legistas, peritos criminais e policiais de Mato Grosso participam desde ontem (26), em...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img