24.8 C
Rondonópolis
 
 

Para vencer eleições: Aylon: pesquisas apontam que Paulo José não é o melhor nome

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
Pré-candidato a prefeito pelo PSD, o vice-prefeito Aylon Arruda: seu partido pode se afastar de Pátio e buscar construir o seu projeto majoritário para eleição deste ano com outras siglas (Foto – Arquivo)

Pré-candidato a prefeito pelo PSD, o vice-prefeito Aylon Arruda afirmou ontem (29) ao A TRIBUNA que, se o prefeito Zé Carlos do Pátio (PSB) continuar “forçando a barra” para tentar decolar a pré-candidatura do diretor geral do PSD, Paulo José (PSD), o seu partido se afastará e buscará construir o seu projeto majoritário para eleição deste ano com outras siglas.

“O prefeito precisa ter a humildade para entender que as pesquisas qualitativas apontam que o Paulo José não é a melhor opção (prefeitura). Então, se ele continuar forçando a barra, colocando toda a estrutura para que o nome do Paulo José cresça nas intenções de votos, o PSD vai buscar com outras siglas, como os partidos da Federação (PT, PV. PCdoB), para construir o nosso projeto majoritário. Se insistir nele (Paulo José), sem que as pesquisas apontem qualitativamente que é o melhor candidato, estaremos fora”, disparou Aylon.

Presidente da sigla no município, ele ressaltou que o PSD não é “submisso a ninguém” e não pretende fazer parte de projeto de poder pessoal. “Não estamos dispostos a fazer parte de um projeto de poder pessoal. Queremos fazer parte de um projeto que quer o melhor para a cidade, que discuta com a sociedade na eleição um projeto que faça Rondonópolis seguir avançando”, destacou o vice, afirmando que a sua pré-candidatura segue firme independente de ter o apoio do atual prefeito.

“O PSD tem um projeto para Rondonópolis que vem sendo discutido há algum tempo e a nossa pré-candidatura independe de ter o apoio ou não do prefeito”, disse ele.

 

 

———— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Observou ainda que em outubro do ano passado foi realizado um encontro pluripartidário das “forças progressistas da cidade”, que reuniu 11 siglas, quando ficaram definidas as três pré-candidaturas que seriam lançadas para a disputa da eleição deste ano pelo comando do Palácio da Cidadania com o apoio do prefeito Zé Carlos do Pátio.

Além da dele (Aylon) e de Paulo José, a outra pré-candidatura do grupo é a do empresário Carlos Ernesto Augustin, o Teti, que ocupa hoje a função de assessor especial do Ministério da Agricultura e Pecuária em Brasília e se filou ao PT em meados de 2023.

“Lá (encontro pluripartidário das forças progressistas), ficou definido que pesquisas qualitativas apontariam que o nome que reunisse os atributos mais próximos do que deseja a população para ser o próximo prefeito seria o candidato do grupo. Como chegou o final do ano e as pesquisas deles apontaram que o Paulo não estava bem, mudou a conversa. Começou falar somente em quantitativa e forçar a estrutura para trabalhar o Paulo José para crescer nas intenções de votos”, comentou Arruda, acrescentando que desde a reunião realizada no dia 22 deste mês, na fazenda do pré-candidato petista Teti, não conversou mais com Pátio.

“Não conversei mais com ele (Pátio). Mas estamos abertos ao diálogo. Sabemos que com a unidade do grupo aumentam as chances de vitória e separados, diminuem. Mas, tem que se respeitar as regras do jogo. Se não estamos fora, vamos buscar outro caminho”, adiantou ele, defendendo que esta definição sobre o nome deste grupo precisa ser tomada logo.

“Não pode ficar empurrando para frente. Não podemos mais ficar só fazendo campanha interna, ciscando para dentro. Temos que buscar outras forças para agregar o nosso projeto”, frisou o vice-prefeito, acrescentando que a eleição em Rondonópolis é considerada prioritária para o ministro Carlos Fávaro, que tem pretensões de concorrer ao governo do Estado em 2026.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Dengue: Integração de tecnologias brasileiras promete acelerar o combate à dengue

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na última quinta-feira (22), o Brasil ultrapassa os 740 mil casos de...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img