Mito 1:

Ovo cru é melhor fonte de proteína do que o cozido

Quem nunca soube de alguém que come ovo cru por acreditar que ele aumenta a massa muscular? De fato, ovo é uma ótima fonte de proteína, mas comê-lo cru não é necessariamente a melhor estratégia, uma vez que tem as mesmas gramas de proteína de um ovo cozido. Além disso, ovo cru pode conter salmonela.

Mito 2:

Ovo marrom (caipira) é mais nutritivo do que o branco

A cor da casca não tem relação com o valor nutricional, mas apenas com a genética da raça da galinha que botou. Normalmente, galinhas de penas brancas botam ovos brancos e galinhas de penas vermelhas botam ovos marrons. Então, sem discriminação, ok?

 

Mito 3:

Comer acidentalmente uma pequena parte da casca faz mal à saúde

Encontrar uma “casquinha” de novo no omelete ou no bolo não é legal, mas também não é perigoso para a saúde. Uma pequena parte não fará mal, mas um pedaço significativo da casca pode causar problemas de irritação e até danos ao esôfago. Além disso, a casca de ovo também pode conter salmonella, então é melhor não comer – de propósito.

Mito 4:

A pequena substância branca ligada à gema não é um “cordão umbilical”

Você não precisa se assustar ou retirá-la com um garfo, ela se chama chalaza. A chalaza pode ser encontrada dos dois lados da gema e sua função é manter a gema no meio do ovo – uma espécie de âncora. É seguro comê-la.

 

Mito 5:

Tamanho do ovo é proporcional ao tamanho da galinhas

Se você não entende porque alguns ovos são maiores que os outros e atribui ao tamanho da galinha, saiba que não é bem assim. Claro que galinhas maiores provavelmente vão botar ovos grandes, mas outros fatores que também determinam o tamanho do ovo são a dieta, idade, peso, ambiente em que ela vive, entre outros.

 

Mito 6:

Comer só as claras é melhor para formar músculos

Aos marombas de plantão: vocês podem estar comendo ovos da forma errada.

Um estudo publicado no renomado American Journal of Clinical Nutrition analisou dez homens saudáveis, com faixa etária de 20 anos, que praticavam exercícios regularmente. Após um treino de resistência, metade dos participantes comeu ovos inteiros e outra metade só as claras, nada de gema. Eles ingeriram o equivalente a 18 gramas de proteína.

Após essa etapa, foram realizados exames de sangue que mostraram que ambos os grupos entregaram a mesma quantidade de aminoácidos, responsáveis pela formação muscular. Porém, aqueles que ingeriram o ovo inteiro apresentaram melhor construção muscular – precisamente, 40% maior do que o grupo de homens que comeram só as claras.

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui