16.9 C
Rondonópolis
, 16 julho 2024
 
 

Redução de gastos: Prédios do MPF no Estado já estão recebendo placas solares

O excedente de energia gerado irá beneficiar também a unidade de Rondonópolis

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
Ação assegura a execução de ações que atendem as políticas de responsabilidade ambiental do Ministério Púbico Federal (Foto – Freepik)

O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso divulgou ontem que a instalação de sistemas de geração de energia elétrica conectado à rede com módulos fotovoltaicos já está em andamento nos edifícios das Procuradorias da República nos Municípios (PRMs) de Cáceres e Sinop.

“O novo sistema de fornecimento de energia minimiza gastos com energia elétrica nos edifícios do órgão de forma significativa, e além de gerar energia limpa, assegura a execução de ações que atendem as políticas de responsabilidade ambiental do MPF”, aponta.

“Dois objetivos moveram a administração pela opção da instalação do sistema solar fotovoltaico: economia obtida na conta de luz e ter como característica ser uma energia 100% limpa, eficiente e renovável, que responde a uma necessidade ambiental, promovendo a economia de água e reduzindo a emissão dos gases responsáveis pelo efeito estufa na atmosfera, além de outros benefícios intrínsecos a essa modalidade de fornecimento de energia”, aponta o procurador-chefe do MPF em MT, Ricardo Pael Ardenghi.

Segundo a Secretaria Estadual do MPF, as características ambientais (clima, localização e irradiação solar) em Cáceres e Sinop são muito boas em termos de capacidade de geração de energia utilizando a luz solar, apresentando os índices de irradiação solar de 1969 e 2005 kWh/m² a cada ano, respectivamente.

“Os sistemas fotovoltaicos vão gerar energia suficiente para o consumo das PRMs e ainda resultarão em créditos excedentes a serem utilizados para redução do valor da fatura de energia elétrica de outras unidades do MPF em Mato Grosso, tais como na PR/MT em Cuiabá e nas PRMs em Rondonópolis e Barra do Garça”, explica o secretário Estadual do MPF, Francisco de Assis Ferreira Pimenta.

Retorno do investimento

Considerando os gastos anuais com energia, que são de aproximadamente 65 mil reais por ano em Cáceres e 51 mil reais por ano em Sinop, a instalação do Sistema Fotovoltaico, de acordo com o MPF, propicia um retorno de investimento estimado em cerca de quatro anos, período considerado satisfatório.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Santa Casa alerta: Pacientes e familiares estão sendo vítimas de golpistas

Pacientes da Santa Casa de Rondonópolis e familiares estão sendo vítimas de tentativa de golpes. A situação já foi...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img