A escola dentro do sistema prisional conta com uma grande biblioteca utilizada pelo projeto, seis salas de aula, com 12 turmas (Foto – Alair Ribeiro)

A leitura como instrumento de poder na busca de transformação para mudar a realidade em que se está inserido. Essa é a premissa do projeto Livros que dão Asas, realizado nas salas anexas da Escola Estadual Maria de Lima Cadidé, localizada na Penitenciária Major Eldo Sá Correa (‘Mata Grande’), em Rondonópolis.

A escola dentro do sistema prisional conta com uma grande biblioteca, utilizada pelo projeto, seis salas de aula, com 12 turmas, e promove desde a alfabetização a cursos preparatórios para a Universidade, pelo projeto Zumbi dos Palmares.

Atualmente, 260 recuperandos participam dos estudos e, através do projeto, aprendem a valorizar a leitura, ampliando o conhecimento e o acesso à cultura, para que possam exercer o papel de sujeito da sua própria história.

 

 

———— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Um exemplo de sucesso do ‘Livros que dão Asas’ é um reeducando, que apenas no ano de 2021, já leu cerca de 40 livros. O jovem parou de estudar no segundo ano do Ensino Médio, antes de ter sua liberdade privada, e, com o projeto, conseguiu concluir os estudos com ótimas notas pelo Centro de Educação para Jovens e Adultos (Ceja).

A pedagoga e responsável pelas políticas públicas de educação na unidade, Creuza Rosa Ribeiro, falou sobre o início do projeto, as dificuldades encontradas, e também reafirmou a importância de ações afirmativas que possibilitem, aos recuperandos, o acesso à leitura como ferramenta libertadora.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui