Município vem abrindo várias creches na cidade, mas todas com oferta de vagas em meio período (Foto – Divulgação)

Pais e responsáveis por crianças da cidade vem cobrando que a Secretaria Municipal de Educação volte a ofertar creches que atendam alunos em período integral, que existiam na cidade até alguns anos atrás.

O problema relatado pelos pais ou responsáveis é que as creches somente em um período não são uma solução, pois normalmente estes precisam trabalhar os dois períodos.

A situação é exposta pela professora Alessandra Nunes, mãe de um bebê de oito meses que atualmente fica por um período em uma creche municipal.

“Trabalho os dois períodos, das 7h às 11h20 e 13h às 17h. A creche no período integral é extremamente necessária, principalmente para nós mães que somos sozinhas e precisamos trabalhar em tempo integral para dar conta de arcar com as necessidades de uma criança”, afirmou.

Ela conta que, assim que sua filha completou quatro meses de vida e ela precisou retornar ao trabalho, matriculou sua filha numa creche, mas teve que pagar outra particular para poder trabalhar normalmente.

“Minha filha ficou de manhã em uma creche particular e à tarde na creche pública, mas, por conta da logística, pegar em uma creche e levar para outra e também o valor da creche particular, tive que tirar ela da particular e deixar somente à tarde na creche do Município”, completou a mãe.

Situações semelhantes são relatadas por outros pais e mães, além de responsáveis, que cobram que pelo menos parte das turmas das creches municipais acolha as crianças em período integral, mesmo que usando critérios como renda e necessidade dos pais e responsáveis pelas crianças.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

REPRESENTAÇÃO NO MP

A reivindicação é apoiada pela vereadora Kalynka Meirelles (Republicanos), que reuniu assinaturas para um abaixo-assinado e ingressou com uma ação no Ministério Público cobrando que o poder público municipal disponibilize essas vagas em período integral.

“Eu protocolei a representação com assinaturas de cerca de 500 pais e mães que precisam de creches em período integral. A Prefeitura tinha algumas unidades que atendiam em período integral, mas ao longo dos anos eles foram desativando e todos os anos diminuem mais, com o argumento de abrir mais vagas de meio período. É muito bom possibilitar que mais crianças tenham vagas em creches, mas, para mim, isso é trocar seis por meia dúzia, pois não resolve o problema dos pais, que trabalham em período integral e não têm com quem deixar seus filhos”, explicou.

A parlamentar conta que percorreu diversas creches municipais para conversar com pais e mães, e a constatação é que a maioria dessas pessoas precisam deixar suas crianças nas creches durante todo o dia para que possam trabalhar.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui