Primeira-dama Neuma de Moraes esteve acompanhada no A TRIBUNA do ex-prefeito de Dom Aquino, Josair Lopes, que é um dos coordenadores de sua pré-campanha na região (Foto – Denilson Paredes)

Muito conhecida e querida no mundo da política, a professora aposentada Neuma de Moraes, esposa do José Carlos do Pátio (PSB), com quem está casada há 40 anos e com quem teve três filhos (Carlos Vinícius, Marcelo e Matheus), decidiu que era hora e se lançou como pré-candidata à deputada federal. Militante na política desde antes de conhecer aquele que se tornaria seu companheiro, ela conta que sua principal motivação para se lançar como candidata é a luta por reaver direitos que os trabalhadores e a população mais pobre do país e do Estado perderam nos últimos tempos.

Muito simpática e comunicativa, a primeira-dama de Rondonópolis visitou a redação do A TRIBUNA para falar um pouco de sua história e sobre sua decisão de se lançar candidata no pleito eleitoral deste ano.

“Eu costumo dizer que o professor é um eterno político. Mas política partidária eu conheci junto com meu marido, quando ele foi convidado para sair candidato a vereador, lá atrás. E eu sempre militei ali, junto. Sou uma ex-sindicalista, fui do Sintep, sempre fui para a luta. Fui professora na Escola Marechal Dutra, onde estudei, trabalhei e conheci meu marido, com quem construí minha família”, contou a pré-candidata à reportagem.

Neuma de Moraes conta que sempre foi militante dos ideais progressistas e sempre buscou, junto com o esposo, melhorias para as classes mais desfavorecidas, mas nunca antes pensou em se lançar como candidata, preferindo atuar nos bastidores e apoiando seu esposo.

“Eu já tinha meu marido, que fazia política 25 horas por dia, já fazia por nós dois. E eu sempre ficava nos bastidores, mas ano passado, com a pandemia e com tudo que vem acontecendo no nosso país, com trabalhadores perdendo do dia para a noite seus direitos, eu fui tocada. Como já estou aposentada e meus filhos todos grandes, veio aquela voz: ‘você não vai fazer nada? Vai ficar aí assistindo tudo isso?’ E foi aí que tomei minha decisão de fazer alguma coisa. Foi aí que me coloquei à disposição do grupo para ser candidata e, graças a Deus, a militância abraçou o meu nome e está dando tudo certo”, externou.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Ela diz que, em caso de eleita, deverá lutar na Câmara Federal pela retomada de direitos da classe trabalhadora e por políticas públicas de inclusão social, principalmente.

“Nós vimos um verdadeiro desmonte nos últimos tempos dos direitos dos mais humildes e não vemos ninguém fazer nada. E mudamos de partido, para o PSB, que também abraçou a ideia e nos lançou como pré-candidata a deputada federal e estou animada para defender nosso estado e as bandeiras que sempre defendemos, que é defender o trabalhador, defender a Educação, defender a mulher, defender os nossos jovens, que me causam enorme preocupação. Eu ainda consegui me aposentar, mas e os nossos jovens, que perspectivas eles têm? Se a gente não ocupar esse espaço, outro ocupará, e é por isso que tomei essa decisão de me candidatar”, completou Neuma de Moraes.

Provocada a respeito de que estaria saindo candidata apenas por ser a esposa do prefeito José Carlos do Pátio, ela dispara de pronto. “Eu sou esposa, professora, militante, cidadã, mãe e muito crítica. Tenho todas as prerrogativas e condições de me lançar como pré-candidata e, com muita humildade, considero que tenho as condições para representar bem a cidade e o Estado na Câmara Federal. Vou defender as políticas públicas que fortalecem a família e isso é feito lá no Congresso, e é lá que eu quero estar”, concluiu a pré-candidata.

A primeira-dama esteve acompanhada do ex-prefeito de Dom Aquino, Josair Lopes, que é um dos coordenadores de sua pré-campanha na região.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui