Anúncio foi feito pelo prefeito José Carlos do Pátio em reunião com lideranças comunitárias do bairro e moradores (Foto – Antônio Carmelo)

Depois de cerca de um ano e meio com as obras de drenagem e asfalto abandonadas, a Prefeitura de Rondonópolis anunciou ontem (23) a licitação para contratar uma empresa para a retomada das obras.

O anúncio foi feito pelo prefeito José Carlos do Pátio em reunião com lideranças comunitárias do bairro e moradores. A licitação está marcada para ocorrer no dia 22 de junho.

As obras de drenagem e pavimentação do Sagrada Família chegaram a ser iniciadas em 2020, mas em novembro daquele ano foram abandonadas pela empresa Geosolo, contratada para o trabalho.

Obras foram abandonadas no Sagrada Família em novembro de 2020 pela empresa Geosolo (Foto – Arquivo)

A paralisação da obra gerou um imbróglio entre empresa e Prefeitura, e um processo administrativo foi aberto pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra) para que fosse feito o distrato e, posteriormente, nova licitação. O processo administrativo foi concluído em setembro de 2021 e somente agora, oito meses depois, é que o processo de licitação foi aberto.

A Geosolo mantinha dois contratos milionários com a Prefeitura para obras de pavimentação e drenagem que incluíam, além do bairro Sagrada Família, os bairros Parque Universitário, Carlos Bezerra II e Maria Vetorasso II, bem como a duplicação da Rua Fernando Correia da Costa.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

O valor do contrato era de R$ 11 milhões para as obras no Sagrada Família e mais R$ 13,9 milhões para as obras nos demais bairros. Ao todo, os contratos somavam R$ 24,9 milhões.

No Parque Universitário, as obras foram retomadas no ano passado com a Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder) sendo contratada pela Prefeitura para concluir as obras que estavam abandonadas.

As obras abandonadas vinham causando transtornos aos moradores do Sagrada Família, principalmente na época de chuvas, quando várias ruas ficavam intransitáveis. Desde o início de 2021, os moradores cobravam a retomada das obras.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui