Edvan de Souza Santos é suspeito de conduzir a motocicleta para o assassinato da ex-diretora do Sanear, Terezinha Silva de Souza (Foto – Redes sociais)

A Delegacia Regional de Rondonópolis indiciou um dos suspeitos de participação no assassinato da ex-diretora geral do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear), Terezinha Silva de Souza, ocorrido em 16 de janeiro de 2021. Edvan de Souza Santos é suspeito de conduzir a motocicleta para o cometimento do crime.

Ele é policial militar e está atualmente preso em Chapada dos Guimarães acusado por cinco homicídios ocorridos em Pontes e Lacerda. O delegado Regional de Rondonópolis, Thiago Garcia Damasceno, também solicitou à Justiça a prisão preventiva do suspeito pelo homicídio de Terezinha.

O inquérito que levou ao indiciamento do suspeito foi concluído e tem mais de 2 mil páginas conforme explicou o delegado. Agora a polícia dará continuidade às investigações com a abertura de um inquérito complementar para identificar a identidade do atirador que estava na garupa da motocicleta, bem como para determinar se há mandante ou mandantes do crime.

As investigações estão atualmente sendo conduzidas pela Delegacia Regional, que assumiu o caso em setembro de 2021. Até então, o crime era investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Rondonópolis.

Thiago Damasceno informou que primeiramente a polícia identificou a motocicleta utilizada no crime, uma Honda, modelo CB 300 de cor vermelha. A moto foi encontrada abandonada pela Polícia Militar às margens da BR-364, no município de Pedra Preta, dias após o assassinato de Terezinha.

Como a moto tinha características semelhantes da usada no crime, perícias foram realizadas e identificaram o chassi que havia sido adulterado e a placa.

“A moto tinha peças exclusivas que foram identificadas em vídeo e, posteriormente, pela perícia no veículo apreendido em Pedra Preta”, disse o delegado sobre como se confirmou que a motocicleta era a utilizada no crime.

Com o prosseguimento das investigações, a polícia conseguiu determinar a trajetória da motocicleta por meio de câmeras de vídeo em ruas e em rodovias, chegando até Pontes e Lacerda. Também por meio de análise de vídeos foi possível identificar o condutor da motocicleta.

Na época do crime, o suspeito era policial militar lotado em Pontes e Lacerda, cidade onde ocorreram os cinco homicídios em que ele é acusado de ser o responsável.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Edvan foi preso em 26 de janeiro deste ano durante a Operação Letífero deflagrada pela Delegacia de Pontes e Lacerda que investigava os cinco homicídios. Na ocasião da prisão, o suspeito estava lotado no Batalhão Ambiental da Polícia Militar de Rondonópolis, local onde foi detido.

“É importante ressaltar que o modus operandi utilizado nos cinco homicídios ocorridos em Pontes e Lacerda em que o Edvan é suspeito é idêntico ao usado no assassinato da Terezinha. Além disso, a mesma moto CB 300 vermelha utilizada no homicídio em Rondonópolis foi usada em um dos casos em Pontes e Lacerda em que ele é acusado”, destacou o delegado.

O delegado Regional de Rondonópolis, Thiago Garcia Damasceno, também solicitou à Justiça a prisão preventiva do suspeito pelo homicídio de Terezinha (Foto – A Tribuna)

Além dessas provas, o delegado ressaltou que a arma que foi usada no assassinato de Terezinha é apontada pela perícia como a mesma que foi usada em quatro dos homicídios em que o suspeito é acusado de ter cometido em Pontes e Lacerda. “Há provas inquestionáveis que comprovam que ele era o condutor da moto no crime”, disse.

O suspeito já foi ouvido sobre o crime e negou qualquer participação no assassinato de Terezinha. Alegou inclusive que não estaria em Rondonópolis no dia do crime e que não conhecia a vítima.

O delegado informou que, no entanto, não se sabe ainda qual teria sido a motivação do crime e se há mandante ou mandantes. As investigações seguem no sentido de elucidar completamente o crime e os envolvidos.

O crime

(Foto -Arquivo)

A ex-diretora do Sanear, Terezinha Silva, foi morta com vários tiros na Rua Otávio Pitaluga no cruzamento com a Avenida Dom Wunibaldo, quando o veículo que ela estava parou no semáforo.

Uma moto vermelha CB 300 com dois homens parou ao lado do veículo e fez vários disparos que atingiram Terezinha e causaram a morte. O motorista do Sanear, que conduzia o veículo, não teve ferimentos graves.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui