24.5 C
Rondonópolis
, 21 maio 2024
 
 

Requerimento: Vereador cobra do Paço Municipal respostas sobre as faixas elevadas

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
Marisvaldo Gonçalves: “é um absurdo! Já se passaram quase um mês e até hoje não sei o que responder para a população quando me questiona a respeito destas faixas” (Foto – Arquivo)

O vereador Marisvaldo Gonçalves (Republicanos) não está nada satisfeito com a falta de resposta da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat) sobre a licitação realizada pela Prefeitura, no valor R$ 3,3 milhões, para a construção de mais de 100 faixas elevadas em vários pontos da cidade.

O requerimento do republicano, cobrando explicações da Setrat, foi apresentado no dia 17 abril, logo após ampla repercussão causada por uma reportagem do A TRIBUNA, que revelou a homologação, por parte da prefeitura, da licitação no valor R$ 3,3 milhões para a construção destas faixas.

“É um absurdo! Até o momento não tenho nenhuma resposta. Já se passaram quase um mês e até hoje não sei o que responder para a população quando me questiona a respeito destas faixas”, aponta Marisvaldo, acrescentando que o requerimento é um dos meios que os parlamentares dispõem para cobrar respostas oficiais do Poder Executivo.

“Espero que ainda essa semana o requerimento que apresentei seja respondido”, cobrou o parlamentar. Entre os questionamentos, o vereador quer saber, dentro do contrato global, quantas faixas elevadas estão contempladas. Além disso, ele quer saber o valor individual de cada uma delas e quais os locais que serão executadas.

Também cobra, no requerimento, o envio do estudo feito pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat) para justificar a necessidade da construção dessas ondulações.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Paranatinga: Ação do MPMT requer correção de problemas estruturais na MT 130

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível de Paranatinga, ingressou...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img