24.3 C
Rondonópolis
, 22 maio 2024
 
 

Disputa por cadeiras: Maiores bancadas, PSB, MDB, PL e UB formam chapas “pesadas”

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img
A projeção é de as quatro maiores bancadas atualmente existentes na Câmara de Rondonópolis conquistem entre 11 e 13 cadeiras das 21 que estarão em disputa no pleito de outubro (Foto: Assessoria / Jedai)

Após o fechamento da janela partidária, encerrada na sexta-feira (5), o PSB, MDB, PL e UB, além de saírem com as maiores bancadas de vereadores da atual legislatura, desenham chapas proporcionais para a disputa do pleito deste ano com condições de “abocanhar” o maior número de cadeiras na Câmara Municipal.

Otimismo à parte dos ocupantes destas chapas, a projeção mais realista é de que estas siglas devem ocupar de 11 a 14 cadeiras em disputa para a composição da próxima legislatura, que se inicia em 1º de janeiro de 2025.

O PSB, que tem como pré-candidato a prefeito o diretor-geral do Sanear, Paulo José, ampliou com a janela a sua bancada de dois para sete cadeiras, com os ingressos dos vereadores Reginaldo Santos, Batista da Coder, Cláudio da Farmácia, Beto do Amendoim e Kaza Grande. Eles se juntaram à Marildes Ferreira e Roni Magnani.

Dos atuais vereadores, apenas Roni não buscará um novo mandato na Câmara em 6 de outubro deste ano. Na chapa montada pela sigla, considerada por muitos como sendo da “morte”, os seis vereadores terão a companhia de três ex-secretários da gestão do prefeito Zé Carlos do Pátio (PSB).

Desincompatibilizaram dos respectivos cargos que ocupavam na gestão de Pátio, até a última sexta-feira, Vinícius Amoroso (Coder), Huani Rodrigues (Habitação) e Mara Gleibe (Educação).

Segunda maior bancada da Casa, o MDB, que tem como pré-candidato a prefeito o deputado Thiago Silva, que elegeu três vereadores em 2020, saiu desta janela com uma bancada composta por cinco parlamentares.

Juntaram-se a Adonias Fernandes e ao Investigador Gerson – já que Cláudio da Farmácia deixou o partido -, os vereadores Dr. Jonas Rodrigues, Adilson do Naboreiro e Dico Sodré, os três eleitos em 2020 no palanque de Pátio.

 

 

———— CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

A chapa construída pelo MDB também é considerada ‘pesada’. Além dos atuais vereadores, estão ainda na sua composição quatro ex-vereadores: Fábio Cardozo, Fulô, Mariúva e Ibrahim Zaher, que ingressou no partido este ano.

O PL, que trabalha a pré-candidatura do deputado estadual Cláudio Ferreira e não tinha assento na Câmara Municipal, saiu da janela com uma bancada composta por três vereadores: Kalynka Meirelles, Paulo Schuh e Dr. José Felipe Horta. A eles se juntam na chapa dois ex-vereadores: Rodrigo da Zaeli e Jailton do Pesque e Pague.

O União Brasil, que ocupa ao lado do PL a posição de terceira maior bancada da Casa de Leis, com três vereadores, não deve lançar candidato na corrida sucessória.

O partido presidido no município pela empresária Marchiane Fritzen recebeu a filiação dos vereadores Roni Cardoso, Ozeas Reis e Cido Silva.

A sigla deve apoiar, na disputa pela prefeitura, o deputado Thiago Silva. A sua chapa na disputa por uma das 21 cadeiras da Câmara Municipal, além dos três parlamentares, conta ainda com o ex-vereador Dr. Manoel e a ex-secretária de Educação de Pátio no mandato anterior, a professora Carmem Garcia, a Carminha.

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Ainda o CRP: Lei com o cálculo autorial ficou para a próxima semana

Durante a reunião da ordem do dia da Câmara Municipal, realizada na tarde de ontem, a secretária municipal de...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img