ūüĒäou√ßa o √°udio, clicando abaixo‚Ķ

 


 

Virg√≠nia Mendes: ‚ÄúA primeira-dama acompanhou o governador Mauro Mendes em Rondon√≥polis e n√£o demonstrou que o seu estado de sa√ļde ser√° empecilho para ele disputar a campanha para a reelei√ß√£o…‚ÄĚ

1- SENHORAS E SENHORES,

eis que a possibilidade do governador Mauro Mendes, do União Brasil, não disputar a reeleição surpreendeu a muitos nessa semana. Conforme notícias, ele teria que se afastar do cargo para acompanhar um tratamento médico de sua esposa, Virgínia, deixando no ar a preocupação com uma possível desistência de disputar a eleição.

Isso porque ele é até o momento o candidato mais forte no páreo e deve decidir a disputa no primeiro turno. E justamente por causa disso, essa condição seria tão temerosa para grande parte da classe política estadual, que montou seus projetos políticos em torno do nome de Mendes.

Uma desist√™ncia sua, caso a sa√ļde da primeira-dama do Estado venha a se agravar, mudaria todo o panorama pol√≠tico e colocaria as articula√ß√Ķes praticamente no ponto de partida novamente.


 

MAS √Č MUITO POUCO PROV√ĀVEL

que ele venha a desistir do pleito, a não ser que algo realmente muito grave lhe acontecesse ou à sua esposa, o que desejamos que não aconteça. Tanto é que o governador está em plena pré-campanha, inaugurando a Avenida W-11, tão esperada pela população, e lançando obras em Rondonópolis, um dos colégios eleitorais mais importantes do Estado, deixando claro que está na pista e que se movimenta para mostrar trabalho e gabaritar politicamente para permanecer no cargo que ocupa por mais quatro anos.

Somente em Rondon√≥polis e regi√£o, os investimentos realizados e em vias de se realizarem chegam √† casa dos R$ 230 milh√Ķes, segundo divulgado pelo Governo do Estado.

Ainda há demandas que precisam ser analisadas e atendidas pelo governador, como a ampliação do Hospital Regional, ou a construção de um novo hospital, assim como uma solução mais duradoura para o nosso Anel Viário.

Então, esperamos ver Mauro Mendes de volta em breve na cidade, inaugurando as obras que lançou agora e vendo o gestor estadual lançar novas obras.


 

OUTRO DETALHE

observado na visita que Mauro Mendes fez a Rondon√≥polis na sexta-feira, foi a companhia da primeira-dama Virg√≠nia Mendes, e que com desenvoltura tamb√©m desenvolveu uma programa√ß√£o √† parte, com v√°rias a√ß√Ķes sociais, demonstrando estar engajada na campanha pela reelei√ß√£o do esposo e n√£o deixando antever qualquer empecilho devido ao seu tratamento de sa√ļde.


 

Jos√© Carlos do P√°tio: ‚ÄúO prefeito coloca os vereadores em uma saia-justa em condicionar o reajuste para os servidores p√ļblicos com a aprova√ß√£o do projeto de aumento do IPTU pela C√Ęmara Municipal…‚ÄĚ

2- TEM PEGADO MUITO MAL

a pressão que o prefeito José Carlos do Pátio, do PSB, tem feito sobre os vereadores para aprovar o aumento do IPTU, que ele já vem tentando emplacar a alguns anos. Esse aumento, sejamos justos, precisa acontecer de tempos em tempos, conforme é previsto em lei, principalmente em casos em que os imóveis se valorizaram.

Então, dentro dos critérios, no momento certo e devidamente conversado e acordado com a sociedade, o IPTU pode sim ser reajustado e todos nós temos que entender e aceitar isso.

Isso, mesmo a cidade estando muito bem de sa√ļde financeira e com seu Or√ßamento tendo crescido exponencialmente nos √ļltimos anos, num percentual bem acima do crescimento populacional e do consequente aumento da demanda por servi√ßos p√ļblicos.

Ent√£o, essa √© uma discuss√£o que o prefeito e seus assessores e vereadores precisam abrir um debate com a sociedade e mostrar a justeza dos aumentos, com clareza e apostando na intelig√™ncia das pessoas, sem falseamentos de dados e informa√ß√Ķes, como chegou a afirmar que ‚ÄúRondon√≥polis √© um dos munic√≠pios que menos arrecada no Estado‚ÄĚ, o que todos sabemos que n√£o √© verdade. At√© mesmo pelo seu rico or√ßamento de 1,6 bilh√£o.


 

AGORA CONDICIONAR

o poss√≠vel aumento para os servidores p√ļblicos municipais, que amea√ßam at√© parar de trabalhar caso n√£o sejam atendidos pelo Executivo, √† aprova√ß√£o dos aumentos no IPTU, √© algo desnecess√°rio e soa estranho uma prefeitura que compromete menos de 40% de sua receita l√≠quida com a folha de pagamento pedir mais dinheiro aos vereadores para aprovar um aumento para os servidores.

S√£o duas situa√ß√Ķes distintas e n√£o podem ser tratadas de forma leviana, exigindo cada um dos assuntos uma aten√ß√£o espec√≠fica do gestor e dos vereadores.

No caso do IPTU, √© inevit√°vel que em algum momento esse realinhamento venha a acontecer, ent√£o √© preciso a maturidade de saber que √© um assunto espinhoso e que n√£o pode ser tratado longe dos olhos e ouvidos da popula√ß√£o, que √© em √ļltima inst√Ęncia quem deve se conscientizar dessa necessidade e quem ir√° pagar pelos aumentos.


 

3- MUITO BONITA A ATITUDE

de alguns vereadores que denunciaram ataques virtuais √† secret√°ria municipal Ione Rodrigues, que teria sido atacada pelas redes sociais. Eles tamb√©m se solidarizaram com a secret√°ria e demonstraram n√£o s√≥ empatia com outro ser humano, no caso uma mulher de origem humilde, como tamb√©m agiram com a responsabilidade que cabe aos homens e mulheres p√ļblicos, principalmente na posi√ß√£o de vereadores, condenando esse tipo de ataque, o que √© altamente elogi√°vel.

Dir√≠amos at√© que poderiam ir al√©m e montar uma comiss√£o para acompanhar esse e outros casos semelhantes, de verdadeiros linchamentos virtuais promovidos contra figuras p√ļblicas, cobrando em nome da sociedade a apura√ß√£o dos fatos e a puni√ß√£o exemplar dos criminosos que atacaram a secret√°ria.

√Č preciso um rep√ļdio veemente contra esse tipo de atitude, que n√£o cabe numa sociedade que se diga civilizada, como a nossa.


 

MAS, MAIS BONITO AINDA

seria se os nobres vereadores dessem o exemplo dentro de casa, ou no caso, dentro da Casa, com C mai√ļsculo, pois o Parlamento √© a Casa de Leis, onde as leis municipais s√£o debatidas e aprovadas. Dizemos isso porque h√° algum tempo atr√°s houve o caso de uma vereadora agredida verbalmente por um colega de Parlamento, num caso expl√≠cito de machismo, mas esse vereador n√£o sofreu nenhuma san√ß√£o ou advert√™ncia. √Č como se nada tivesse acontecido.

Mais recentemente, outro vereador se referiu a uma ent√£o secret√°ria como ‚Äúcara de mula‚ÄĚ, numa clara demonstra√ß√£o de incivilidade e de falta de respeito pelo pr√≥prio papel de vereador e homem p√ļblico, pois a ofensa foi proferida pelos microfones da C√Ęmara em plena Sess√£o Ordin√°ria do Legislativo.

E novamente, sequer um pedido de desculpas p√ļblicas foi exigido do vereador agressor. Mas agora, parece que as coisas come√ßam a mudar e os edis a se manifestar sobre os ataques contra as mulheres p√ļblicas, o que √© altamente positivo, pois o devido respeito √© o m√≠nimo que as mulheres, todas as mulheres, merecem.

 

E POR HOJE,

ficamos por aqui com o nosso Papo sobre os movimentos da política. Nos vemos na próxima semana. Até lá!

 

DEIXE UM COMENT√ĀRIO

Por favor, digite seu coment√°rio!
Por favor, digite seu nome aqui