23.6 C
Rondonópolis
, 5 julho 2024
 
 

Papo Político

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img

Thiago Silva: “Evento político movimentou os bastidores, muitos apoios e até queda de presidente do diretório do PP, Ubaldo Barros…”

1- SENHORES E SENHORAS,

anotem ai o nosso CALENDÁRIO DAS ELEIÇÕES:
FALTAM119 DIAS PARA O PLEITO ELEITORAL (Mas só depois de 86 dias, ou seja, em 1º de janeiro de 2025, Rondonópolis terá um novo gestor e poderá respirar outros ares administrativos. Chega de amadorismo na administração do principal município do interior de Mato Grosso. Um orçamento de mais de 2,5 bilhões de reais necessita de muito planejamento e execução para dele se tirar o máximo possível.
Rondonópolis não pode continuar jogando dinheiro fora, investindo milhões e milhões em praças que depois ficam abandonadas pelo próprio poder executivo, com o patrimônio sendo delapidado por vândalos ou pelas intempéries. Mostramos aqui no PAPO passado onde foram parar os 7 milhões empregados no Parque Municipal, outros 3,5 milhões investidos na Usina para asfalto…Nesta semana foi a vez do ex-vereador Jailton do Pesque e Pague denunciar outro parque abandonado, o do “Escondidinho”, que levou 10 anos para ser construído pelo prefeito Zé do Pátio, foi inaugurado somente em 2021, mas já está praticamente destruído. Quanto custou?

Cerca de 6,5 milhões de reais. Gente! É muito dinheiro desperdiçado pelo gestor público. Enquanto isto o setor da Saúde é o mais precário da gestão do Zé, onde falta de tudo, de dipirona a materiais básicos de higienização.

Rondonópolis realmente precisa de um novo modelo de gestão a partir do próximo ano. E o eleitor é o grande responsável na escolha, ou na contratação, desse gestor capacitado para tamanha missão!!! Pensem nisto com carinho, Senhoras e Senhores!

2- AS OPÇÕES QUE TEMOS

neste momento para mudar o rumo administrativo de Rondonópolis são os três pré-candidatos que estão muito empenhados em oficializar as suas candidaturas nas convenções entre 20 de julho e 5 de agosto, e não deve haver alteração neste quadro: pela oposição, em defesa dos 65% conquistados pela Direita nas eleições passadas, estão Thiago Silva (MDB) e Cláudio Ferreira (PL), enquanto pela situação caberá ao Paulo José Correia (PSB) defender os 35% da Esquerda.

Num cálculo rápido e rasteiro, 65% divididos por dois resulta em 32,5% para cada lado, e se assim acontecer o grupo do prefeito Zé do Pátio continuaria no poder com a eleição do seu sucessor Paulo José.

Mas, como o PAPO sempre lembra, a política é como uma nuvem, muda constantemente de posição. E tem muita gente em Rondonópolis que ainda acredita numa união dos grupos dos dois deputados estaduais, os pré-candidatos Thiago Silva e Cláudio Ferreira, para um único candidato da Direita enfrentar o representante do grupo da Esquerda. E se chegar a isso mesmo, já até poderia mandar passar o terno.
No entanto, até o dia das convenções muita coisa ainda precisa acontecer para se chegar a uma conclusão. Hoje, tanto o Thiago Silva como o Cláudio Ferreira não abrem mão de suas respectivas candidaturas. Pelo lado do grupo do Zé, o candidato será mesmo o Paulo José.

3- O EVENTO POLÍTICO ACONTECIDO

na noite de quinta-feira, 6, organizado pelo grupo que apoia o Thiago Silva, deixou os seus partidários entusiasmados. Sem dúvida que foi o mais significativo de toda pré-campanha em Rondonópolis. Rendeu muitos fatos novos. Presenças de lideranças de outros grupos e até mesmo o anúncio de destituição de presidente de diretório local.

VAMOS AOS FATOS:

O deputado estadual Nininho, cujo partido o PSD faz parte do grupo das forças progressistas, que apoia o Paulo José, foi um dos oradores da noite em declaração pública de apoio à candidatura de Thiago Silva.
O Nininho é a maior liderança do PSD em Rondonópolis, partido que apoia o Paulo José para atender os interesses do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, que é o seu presidente Regional com pretensões de ser candidato a governador em 2026.

Fávaro quer o PSD junto com a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB) não só em Rondonópolis mas em todo o Mato Grosso, com o objetivo da reeleição de Lula e a sua eleição para governador.

E para este projeto é fundamental contar com uma Prefeitura da do porte de Rondonópolis, além do colégio eleitoral de 175 mil eleitores. Sem dúvida que com o grupo do deputado Nininho fora deste projeto dificulta em muito essa pretensão do ministro Fávaro.

OUTRA PRESENÇA NO EVENTO

de “ilustre visitante” foi o Rogério Salles, presidente de honra e militante histórico do PSDB, cujo partido já declarou apoio à candidatura do Cláudio Ferreira (PL). O vereador Guinâncio, presidente local, já garantiu que esta foi uma opção particular do casal Rogério/Marília Salles de apoio a Thiago Silva, mas que o partido continua ao lado do deputado Cláudio.
Outra declaração que repercutiu na política rondonopolitana foi feita pela deputada Janaína Riva (MDB), que é nora do senador Wellington Fagundes, principal liderança do PL em Mato Grosso.

Segundo Janaína o sogro não está sendo bem aceito no grupo político do Cláudio e, assim como outros, ele será muito bem recebido no palanque do Thiago Silva.

Ora! Senhoras e Senhores, a deputada Janaína, que frequenta a cozinha da casa do senador Wellington, como esposa do seu filho, não soltaria uma dessas se não fosse com o conhecimento dele!
E esse seu discurso só vem confirmar outras notícias do desconforto do senador dentro do grupo, o que já é público através do apresentador de televisão Agnelo Coberlino, que também é do PL, e por várias vezes insinua que Wellington poderá apoiar o Thiago Silva.

O PAPO POLÍTICO JÁ

comentou em edição recente, não fica nada bem para o senador Wellington Fagundes manter esta situação dúbia dentro do PL, que trabalha a candidatura a prefeito do Cláudio Ferreira. Ele teria que colocar um ponto final nesta história, mas até agora preferiu o silêncio diante de declarações como essas do Agnelo Coberlino e da sua nora Janaína.

AGORA BOMBA MESMO,

dentro do evento foi a declaração do presidente Regional do PP, o deputado estadual Paulo Araújo, ao afirmar que o partido estará no arco de alianças com o Thiago Silva.
Acontece que, o vereador Oséas Reis, que presidia o PP em Rondonópolis, na janela partidária, fechada em abril, ele se filiou ao UB para apoiar Thiago Silva, e tentou levar todo o partido com a chapa de pré-candidatos a vereadores, mas acabou sendo impedido pelo prefeito Zé do Pátio, que já tinha o PP em sua base.
No comando da comissão provisória acabou ficando o Ubaldo Toletino de Barros, que vinha entusiasticamente defendendo a candidatura do Paulo José e liderou, junto ao Zé do Pátio, a formação da sua chapa  para concorrer à Camara Municipal.

O estrondo da bomba soltada pelo Paulo Araújo concluiu o seu estrago na sexta-feira, 7, com a divulgação de que o Ubaldo foi destituído da presidência do PP local e já não manda nada na chapa para vereadores, que estará no grupo do Thiago Silva.

E assim acabou o real sonho do Ubaldo Tolentino, que no fundo queria mesmo era conquistar o Zé e ser ele o candidato a vice-prefeito na chapa do Paulo José. O Ubaldo, que foi vice-prefeito na gestão anterior do Zé do Pátio, alimentava o projeto de que a Esquerda de Rondonópolis sempre apresenta um empresário para fazer um mimo na classe empresarial.
E foi assim com ele, com a Marília Salles e atualmente com o Aylon Arruda. Mas agora, para companheiro de Paulo José na chapa majoritária, o projeto anda tirando o sono do Zé do Pátio, pois dificilmente o Teti vai deixar o seu cargo no Ministério da Agricultura para aceitar ser vice; outro sonho era a presidente da ACIR, a Marchiane Fritzen (UB), que nunca assimilou essa ideia e agora já está envolvida no apoio ao Thiago Silva.
O prefeito ainda tinha esperança de reverter esta situação do PP, mas, ontem mesmo, de maneira bem rápida, o Paulo Araújo já indicava que o partido tem novo presidente em Rondonópolis, e o nome dele é Milton Simplício.

4- UMA RÁPIDA PASSADA PELA

nossa Câmara Municipal. Nesta semana chegou ao fim a novela da aprovação dos projetos que criam mais de 160 cargos para as secretarias municipais. Vejam, Senhoras e Senhores, em sete reuniões anteriores os projetos sempre foram retirados de pauta, porque o líder do prefeito Reginaldo Santos percebia que eles não seriam aprovados.

O circo foi armado quando no final de semana passada, o prefeito convocou uma reunião extraordinária da Câmara para a segunda-feira, 3. A convocação não anexava a pauta para a reunião, portanto estava irregular.

Mesmo assim, o presidente da Edilidade, vereador Júnior Mendonça, convocou os vereadores e colocava como pauta projetos em tramitação no Poder executivo e outros que poderiam ser apresentados pelos vereadores. Mas não colou, houve clamor popular, comandado pelo vereador Subtenente Guinâncio. Não restou ao Júnior Mendonça voltar atrás e cancelar a sessão.
No entanto, na sessão ordinária de quarta-feira, 6, o que de fato era para ocorrer na segunda-feira, acabou acontecendo, o prefeito conseguiu barganhar os três votos que faltavam para a aprovação em troca de pagar as emendas impositivas desses vereadores que concordaram com o apoio aos projetos.
“Emendas impositivas viraram joguinho do toma lá dá cá…”, esbravejou da tribuna o ex-aliado do Zé, vereador Rony Magnani. E assim a nossa Casa de Leis voltou a ser o “puxadinho da Prefeitura”.
- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Expectativa: Teti deve deixar hoje Ministério e ser vice de Paulo José

O empresário Carlos Ernesto Augustin, o Teti, que tem o nome lançado como pré-candidato a prefeito de Rondonópolis pelo...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img