O presidente Bolsonaro afirmou que sancionará o projeto que cria o piso salarial da enfermagem. A declaração foi feita no domingo a jornalistas. “Pretendo sancionar. Estou no aguardo da definição sobre qual será a fonte de recursos”, disse o presidente. A Câmara dos Deputados aprovou o projeto em 4 de maio. Como o Senado já havia analisado a proposta, falta agora só a sanção presidencial para que a medida entre em vigor. Contudo, o Congresso ainda não definiu qual será a fonte de custeio para os gastos provocados pelo novo piso.

OPERAÇÃO DA FEDERAL
A Polícia Federal, em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público do DF e Territórios, deflagrou, nesta terça, a Operação Restos da Maldade aqui no Distrito Federal e nos estados de Goiás e Minas Gerais. A ação combate quadrilha que se valia de grandes quantias obtidas em assaltos contra carros-fortes para, depois, praticar crimes de lavagem de dinheiro.

AMIGO DO AGRO
Durante o ato em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte na última semana, o ex-presidente Lula afirmou que o Brasil precisa de nova uma política para o agronegócio, que contemple também os pequenos e médios produtores, que são os principais produtores de alimentos do país. Ele citou a amizade que possui com o ex-senador, ex-governador e ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi como um exemplo do seu bom relacionamento com o setor. Ele ressaltou a importância dos grandes produtores nos números da economia, mas ressaltou a importância de valorização dos pequenos.

NÃO É BEM ASSIM
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou nesta segundaque a PEC 63/2013 é uma valorização das carreiras de magistratura e do Ministério Público, que “extingue, de uma vez por todas, a possibilidade de haver subsídios, esses penduricalhos que de fato são completamente afastados da realidade nacional”. O projeto em questão propõe reestruturação nas carreiras de juízes e integrantes do Ministério Público criando a parcela indenizatória Adicional por Tempo de Serviço de 5% do subsídio a cada quinquênio de efetivo exercício, podendo chegar a até 35%.

DIREITOS POLÍTICOS
O Tribunal Regional Eleitoral de Rio Grande do Sul rejeitou, por unanimidade, o pedido da coligação do PT e demais partidos de esquerda para tornar inelegível o empresário Luciano Hang. O julgamento ocorreu nesta segunda.Os sete desembargadores do TRE-RS reconheceram que não houve nenhuma irregularidade na manifestação de Hang sobre as eleições municipais de Santa Rosa, em 2020, disputada pela coligação.

POR FALAR NELE
O PP cobrou do governo federal a filiação de Luciano Hang, para lançá-lo como senador por Santa Catarina. Hang tem negociações avançadas para se filiar ao PL, o partido de Valdemar Costa Neto que abrigou Bolsonaro e diversos políticos ligados ao presidente. O PP atravessou as conversas porque se sente desprestigiado na formação de palanques majoritários e das chapas para eleger deputados.A filiação de Hang seria uma forma de corrigir o desequilíbrio entre os partidos da base aliada. O empresário é visto como um candidato forte para se eleger em Santa Catarina.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui