(*) Brasilino da Silva

Ambos surgiram, ela adiante e ele atrás, inesperadamente
Manhã preguiçosa, frio de inverno, sol indo para o oeste
Conveniente parada, rituais carinhosos, olhares contentes
Espera paciente, entrevista rápida, doçura [dos ternos]
Ternos pelo amor dado e pelo mesmo afago retribuído
Mais uns passinhos, calmos, trigueiros [intencionais]
Intencionais pelo convite, para o alto, em frente; adido
Para futurar a paz, uns passos musicalizados, inseguros.
Inesperados
Caminhantes
Calmos
Amorosos

Um tempinho a mais, parar para nova troca de olhares
Um estirão rápido, pois, a zona aberta ao visível é perigosa
Perigosa para um par perfeito, manhã de sol flertar [fitar]
Flertes com pedaços de sonhos, convites, lições a ensinar
Ensinar significados felizes da vida, mas percalços [cuidadar]
Nova calmaria na polifônica dança de caminhar e parar
E assim mãe e filho [ou filha] de gatos espaços explorar
Uma rua perigosa em direção ao terreno com mato [dormitar]
Mães
Filhos
Relações
Ternura de amor.

(*) Brasilino José da Silva é poeta em Rondonópolis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui