35 C
Rondonópolis
, 13 junho 2024
 
 

Aprender brincando com jogos: processo necessário na infância

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img

(*) Cleilta Vieira

É importante os jogos e brincadeiras, para o desenvolvimento da criança nas atividades pedagógicas que envolvem os alunos. A escolha de cada jogos e as brincadeiras torna se relevantes como recurso pedagógico para contribuir no desenvolvimento infantil, auxiliando a criança no desenvolvimento da aprendizagem de forma significativa. O conceito histórico de jogos e brincadeiras tem características importantes para o desenvolvimento infantil, uma vez que aponta caminhos e possibilidades para o educador utilizá-los como recurso didático-metodológico no processo educativo.

Os jogos e as brincadeiras apresentam características distintas e estão classificados de acordo com Piaget (apud Friedmann, 1996) em simbólico, de exercício, regras, competição, tradicional, os jogos livres e orientados. Esses jogos promovem o desenvolvimento dos aspectos afetivo, motor, cognitivo e social da criança. Na atuação do educador, os jogos e brincadeiras com fins educativos devem ser utilizados como recurso didático-metodológico, pois no planejamento das atividades, deve-se considerar os objetivos a serem atingidos.

O professor deve atuar como mediador no processo ensino aprendizagem, sempre com olhar atento aos jogos e brincadeiras, de forma que atendam às necessidades individuais e coletivas, de acordo com a faixa etária da criança. Este artigo está embasado nos teóricos conceituados, tais como: Friedman (1996), Kishimoto (2003), Wajskop (2001), Bassedas, Huguet e Solé (1999). Ressaltando que dentre os autores citados todos contribuem para a educação e desenvolvimento integral da criança.

Contudo os jogos e as brincadeiras são excelentes recursos didáticos propiciadores do desenvolvimento integral da criança, visto que o jogo é, pois, um “quebra-cabeça”. Para a criança que brinca o jogo não é apenas uma brincadeira, e sim uma ação verdadeira, por isso, o jogo é visto como uma forma de desenvolvimento e socialização. Dessa forma, ao se identificar com a brincadeira envolvendo o jogo, a criança percebe e tem consciência do seu real significado de aprendizagem.

Sendo assim os jogos e as brincadeiras são atividades livres, conscientemente tomada como prazerosa à vida habitual, isso significa que o jogo é realizado com intencionalidade tornando atividade lúdica e prazerosa fora e dentro do contexto diário na qual a criança está acostumada.

(*) Cleilta Vieira dos Santos Silva é professora da rede municipal de educação

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Nota fiscal integrada: Novas exigências para emissão de NF-eletrônica são tema de palestra na Fecomércio MT

Consumidores de Mato Grosso já devem ter reparado que nas compras de produtos ópticos, de vestuário e calçados, além...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img