27.5 C
Rondonópolis
, 19 maio 2024
 
 

O Cine Meridional: uma História que vem se apagando em Rondonópolis

Leia Mais

- PUBLICIDADE -spot_img

(*) Saullo Vinícius

Realizando as disciplinas no curso de Licenciatura em História, na Universidade Federal de Rondonópolis-UFR, tivemos a oportunidade de focar nossas pesquisas no Patrimônio Histórico e Cultural. Realizamos um percurso a pé, da Praça dos Carreiros até o Cais do Porto. No trajeto foi possível se observar pessoas, ruas, moradias, prédios públicos e privados, dos quais alguns conservados e outros que tiveram que passar por adaptações para atender as exigências do sistema econômico vigente. Me chamou a atenção um prédio em específico, localizado na esquina da Av. Marechal Rondon, onde funcionou o primeiro cinema de Rondonópolis, o Cine Meridional, no período de 1953 a 1957.

Assim, após pesquisas em fontes secundárias para entender melhor a importância deste local, notou-se que a História do primeiro cinema, da padaria, do bar etc… está se apagando. O prédio do Cine Meridional, na atualidade, está sendo desconstruindo. A parte de madeira que havia atrás da casa, já não existe mais. Numa foto, registrei as pichações e o abandono. Receio que a História do Cine Meridional caia no esquecimento e que o prédio, seja destruído devido à má conservação. Este prédio é Testemunho Histórico. Merece cuidados do setor de Patrimônio da Prefeitura de Rondonópolis.

Então, me coloquei a questionar: Por que o prédio do primeiro cinema está abandonado? Quem são os proprietários? O sucateamento deste espaço é estratégico? O prédio é um Patrimônio Histórico Tombado, porque a Secretaria de Cultura não toma providências? Quem são os responsáveis para garantir a preservação do lugar? No jornal local, se observa que alguns cidadãos e pesquisadores vêm acompanhando como o Patrimônio Histórico de Rondonópolis é tratado pelo poder público.

No trajeto visitado, foram apresentados alguns lugares que apesar do tempo e das mudanças econômicas que a cidade passou, se mantêm “em pé”, devido à luta de profissionais de dentro e fora da Secretaria da Cultura. Tal como, o Casario cuja História contribui para a identidade local, enriquecem o imaginário dos moradores de nossa cidade.

Na atualidade, o Casario é um local que passou por restauração e sua função atende à necessidade comercial de bares e restaurantes. No Casario se localiza a Secretaria Municipal de Cultura, a Associação Poguba de Artesãos de Rondonópolis; a Terra – Associação de Ceramistas; outros artesãos independentes, e artistas plásticos. Neste Equipamento Cultural são realizados eventos durante todo ano, atraindo moradores e turistas.

Mas o Casario e o prédio que abriga o Museu Rosa Bororo, são dois casos pontuais. O poder público deveria CONSTITUIR UMA POLÍTICA PARA O PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL DE RONDONÓPOLIS. A Câmara Municipal, com seus muitos vereadores eleitos pelo povo, precisa constituir leis que estimulem a Conservação, a Preservação e a Comunicação dos Locais Históricos.

A Secretaria de Cultura tem condições de construir metodologias que coloquem em prática a economia criativa, por meio do funcionamento de Lugares e Bens Culturais que beneficiam o Patrimônio de nossa cidade!
No que se refere ao prédio do Cine Meridional, muito poderia ser realizado. Inclusive torná-lo um Museu de Imagem e Som. Contudo, não há nenhuma política pública em andamento para salvar o prédio e a situação se agrava, pois o local permanece fechado. O prédio poderia ser aberto ao público, para visitações pelo menos…

Enfim, Rondonópolis tem todas as condições de ser referência Histórica e Cultural da região. SALVEM O PRÉDIO DO PRIMEIRO CINEMA DE RONDONÓPOLIS!

(*) Saullo Vinícius Barboza Araújo é acadêmico do curso de História da UFR

 

- PUBLICIDADE -spot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -
- PUBLICIDADE -

Mais notícias...

Especialistas alertam: hipertensão arterial também ocorre na infância

Embora a hipertensão arterial seja doença de maior prevalência em adultos, afetando cerca de 30% da população brasileira, o...
- Publicidade -
- Publicidade -spot_img

Mais artigos da mesma editoria

- Publicidade -spot_img