Condições das lavouras da safra mato-grossense de algodão apresentam excelente desenvolvimento
Condições das lavouras da safra mato-grossense de algodão apresentam excelente desenvolvimento

À véspera do começo da colheita do algodão, os cotonicultores de Mato Grosso estão otimistas em relação às condições das lavouras e esperam obter uma expressiva produtividade. Se as chuvas não prejudicarem, a Associação dos Produtores de Algodão de Mato Grosso (Ampa) projeta uma produtividade média de 265 arrobas de algodão em caroço por hectare nesta safra, em torno de quatro ou cinco arrobas a mais que a safra anterior.

Conforme informações da Ampa, a partir do próximo dia 10 de junho, muitos produtores de algodão colocam as colheitadeiras em campo na região médio norte de Mato Grosso e, uma semana após, ocorre o mesmo na região sul do estado. Em relação às condições da lavoura, o presidente da Ampa, Gilson Ferrúcio Pinesso, informou que a safra mato-grossense de algodão apresenta um excelente desenvolvimento.

“O clima tem sido muito bom. A produtividade deve ser tão boa quanto no ano passado”, afirmou o presidente da Ampa, acrescentando que a qualidade da fibra também tem agradado muito em Mato Grosso. Assim, ele ressaltou que a torcida é para que chuvas extemporâneas não comprometam a qualidade da fibra. “Acredito que a colheita deve ocorrer com bastante tranqüilidade”, ponderou.

Uma das preocupações dos produtores de algodão do estado é com relação ao preço da pluma, pois enfatiza que o preço atual não cobre os custos de produção. “Vamos colher a safra mais cara de toda a história da cotonicultura de Mato Grosso”, garantiu, informando que o custo de produção da safra atual saiu em torno de US$ 2.200 por hectare, com a arroba da pluma agora na faixa de R$ 38,00 a R$ 40,00. Ele calcula que o preço ideal seria em torno de R$ 55,00 a arroba da pluma.

Gilson esclareceu que o preço da arroba do algodão apresentou alguma melhora no mercado internacional, com reflexos no mercado nacional nos últimos meses. No entanto, pondera que a alta temporária foi devido à escassez de produção, por estar na entressafra. Com a entrada da colheita, a tendência é de que a nova safra entre no mercado e o preço caia novamente.

Diante da defasagem para fechar as contas, o presidente da Ampa entende que será preciso ajuda do governo federal para que os produtores de algodão consigam um preço mínimo adequado, girando em torno de R$ 43,00 a arroba. “Se o governo não nos apoiar, através da garantia de preços mínimos, o produtor vai amargar sérios prejuízos este ano”, alertou.

Gilson Pinesso observou também que os armazéns do estado estão livres para receber a safra que vai começar a ser colhida. Isso porque o algodão da safra anterior (2007/2008), segundo ele, já foi praticamente toda repassada às indústrias ou aos exportadores.

Nesta safra atual, 2008/2009, Mato Grosso apresentou uma redução de 30% na área plantada com algodão. A área plantada foi de cerca de R$ 380 mil hectares, segundo a Ampa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui