Motoristas voltaram a pedir providências da Prefeitura com relação às canaletas localizadas nos principais cruzamentos da região central de Rondonópolis, que continuam causando transtornos para quem trafega pela região. O problema é antigo, mas, após anos de cobranças, o Município continua sem adotar nenhuma medida para reverter a situação em definitivo.

A “novela” das canaletas, que atrapalham a trafegabilidade na região central, obrigando motoristas a reduzirem a velocidade em função dos fortes solavancos, se arrasta desde 2018. As canaletas foram construídas pela própria Prefeitura durante as obras de recuperação da pavimentação no Centro e, logo após concluídas, passaram a ser motivos de muitas reclamações por parte dos condutores. O Município então prometeu resolver o problema e, depois de inúmeras paralisações nas obras, instalou estruturas metálicas e parte das canaletas em 2019.

Quase quatro anos depois, não só o problema não foi resolvido, como a situação está ainda pior. Parte das canaletas problemáticas nunca foram consertadas e continuam com desníveis, e a outra parte está com a estrutura metálica que foi instalada para evitar os solavancos já deteriorada.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

As soldas da chapa de aço galvanizado se quebraram em vários pontos, fazendo com que partes das estruturas começassem a soltar ou entortassem por completo. Os veículos, ao passarem hoje por essas estruturas danificadas, provocam fortes barulhos.

Além disso, em alguns locais, como na Avenida Bandeirantes, no cruzamento com a Rua Dom Pedro II, a água também não escoa mais adequadamente pelas canaletas e fica empossada na via, o que causa mau cheiro e danifica a pavimentação.

Condutores têm relatado problemas em canaletas localizadas em várias ruas e avenidas da região central, como na Rua Poxoréu, na Avenida Tiradentes, na Avenida Bandeirantes, na Rua Dom Pedro II, na Rua Otávio Pitaluga e na Rua José Barriga.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui