Iolanda Machado Mendes Leão, Flávia Izabel Carneiro e Luís Flávio Carneiro, agentes da PMM, em visita ao A TRIBUNA para divulgar iniciativa (Foto – A Tribuna)

Acontece no próximo dia 18 a premiação do concurso “Faça Bonito”. Serão premiadas as melhores redações de alunos do 6º e 7º ano de escolas de Rondonópolis sobre o enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O concurso, que já ocorre há 10 anos em Rondonópolis, é uma forma de dar maior visibilidade a esse tipo de violência e contribuir para o seu combate. O evento de premiação acontece na Escola Municipal Edivaldo Zulliane, a partir das 8h, e é promovido pela Pastoral da Mulher Marginalizada (PMM), em parceria com a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) e o Ministério Público do Trabalho.

Os alunos que concorrem a premiação participam de palestras sobre o tema e produzem uma redação. As palestras são ministradas pela Equipe Renascer, composta por agente da PMM e neste ano foram realizadas em três escolas da cidade para estudantes do 6º e 7º ano. As redações serão avaliadas pelo Departamento de Letras da UFR e os vencedores classificados nos três primeiros lugares de cada ano recebem como premiação bicicletas e notebooks.

A agente da PMM, Flávia Izabel Carneiro, explica que a exploração sexual e o abuso são uma das piores violências sofridas por crianças e adolescentes, com marcas profundas nas vítimas. Ela destaca que o seu enfrentamento é um compromisso que deve ser de toda a sociedade.

O concurso foi criado como uma forma de atuação no combate a esse tipo de violência em Rondonópolis e, por meio da iniciativa, é possível levar informações sobre o tema até crianças e adolescentes que são as vítimas.

“Com as palestras podemos levar informações até as crianças, o que é fundamental para combater o abuso e a exploração sexual, pois só sabe combater esse tipo de violência quem compreende o que ela é. Para que se passe a perceber que se vive o abuso e a exploração sexual é preciso conhecimento da violência sofrida”, destaca o agente da PMM e palestrante Luís Flávio Carneiro.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Iolanda Machado Mendes Leão, agente da PMM, reforça ainda que o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes é um dos eixos nacionais de atuação da Pastoral da Mulher Marginalizada. Ela acrescenta que o enfrentamento a esse tipo de violência é fundamental. “É preciso compromisso de toda a sociedade e comprometimento do poder público, pois essa é uma violência que na maioria dos casos está presente na casa das pessoas”, diz e ressalta que a maior parte dos casos ocorre dentro do lar.

DIA DE MOBILIZAÇÃO
O dia 18 de maio é marcado como Dia Nacional de Mobilização ao Enfrentamento do Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. A data escolhida faz alusão a um dos crimes que mais chocaram o país, o assassinato de Araceli Cabrera Sanches, de apenas oito anos, que foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família local no Espírito Santo. O crime segue impune até hoje.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui