Pesquisadores Fabiano Siqueri e Ivan Pedro mostrando resultados em áreas de pesquisas (Foto – Divulgação)

Falsa medideira, percevejo-marrom, percevejo barriga-verde, mosca branca, cascudinho da soja, lagarta-helicoverpa e lagarta-militar são algumas das principais pragas com maior ocorrência na safra 2021/22 da cultura da soja em Mato Grosso. Antracnose, crestamento foliar de cercospora, mancha-alvo e mancha-parda foram as doenças com maiores incidências na sojicultura mato-grossense na atual safra. Capim-amargoso, caruru e pé-de-galinha, por sua vez, foram as plantas daninhas que mais invadiram as lavouras de soja em MT. Essas pragas, doenças e plantas invasoras são fatores restritivos que podem afetar a produção do grão de soja.

Para evitar que isso aconteça, produtor e equipe devem ficar muito atentos a todas as fases da cultura da soja, ter informação com qualidade, usar corretamente as ferramentas de manejo e controle dos problemas nas lavouras, bem como proteger o potencial produtivo das cultivares de soja.

“A soja tem potencial de produzir muito mais do que se tem alcançado nos últimos anos. Devido à grande quantidade de fatores restritivos, observa-se ao longo das safras reduções dos índices de produtividades. Porém, para garantir essa expressão ou para garantir aumento de produção é necessário entender o funcionamento da planta em um sistema de produção. Isso envolve a fisiologia, o manejo, entre outros fatores”, destacou o professor Evandro Binotto Fagan, doutor do Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam).

De acordo com o pesquisador, na safra anterior (2020/21) a caixa produtiva da soja ficou abaixo da necessária para altas produtividades em função da ocorrência de estresse que diminui a capacidade de produção de estruturas das plantas. Fagan explica que o estresse também tem limitado a produção da cultura por ser um causador de produção de substâncias tóxicas que causam além da morte de células, a redução da planta na capacidade de produzir grãos.

“Sendo assim, entender a fisiologia da planta é de fundamental importância para manejos corretos e se obter lavouras cada vez mais produtivas. É também necessário que além do entendimento da planta a compreensão do sistema de produção que envolve manejo de solo, manejo de doenças e manejo de pragas estejam alinhados com esses fatores.”

Essas e outras informações foram divulgadas pelo pesquisador durante um dia de campo realizado na última terça-feira em Campo Novo do Parecis (localizado na região médio-norte de MT) para produtores, engenheiros agrônomos, consultores, técnicos, professores e estudantes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui