(*) Francisco Assis

Fui invocado para a guerra
A convite de Pajé
Estão querendo invadir nossas terras
Porém, estaremos de pé.

Usaremos de toda coragem
Contra quem quer nos desafiar
Deixem de ficar enviando mensagem
Estamos prontos para guerrear.

Estão de olho em nossas riquezas
Minério, madeira e caça
Esses presentes da natureza
Que nos foi concedido de graça.

Nem que usaremos nossas armas
Em defesa da nossa aldeia
Pajé nos orientou não alarma
A coisa aqui pode ficar feia.

Então preparamos arcos e flechas
Nossa lanças de madeira
Aqui eles não encontrarão brecha
Ninguém está para a brincadeira.

Pegamos os machados de pedra
Distribuímos os tacapes
Se entrar aqui o trem azeda
Não vai haver um que escape.

Já sei que nos filmaram do alto
Usando essa tecnologia do Drone[u1]
Mas nós temos representante lá no Planalto
E não poderemos morrer de fome.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar. Email: [email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui