Na última sexta-feira (21), um princípio de incêndio (foto detalhe) assustou os moradores de um prédio localizado na Vila Aurora, mas ele foi controlado antes que provocasse maiores estragos (Foto – Divulgação)

Levado para Cuiabá para receber manutenção, a autoescada do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Rondonópolis, mais conhecida como Escada Magirus, continua parada e sem previsão de retorno para a cidade, que teme pelo pior enquanto fica sem o equipamento que é essencial para o combate à grandes incêndios, fogo em grandes alturas e até no resgate de pessoas. A citada manutenção já foi contratada e as peças deveriam chegar ainda em fevereiro, mas houve um reajuste no preço das mesmas, o que deve atrasar ainda mais a operacionalização da Magirus.

Enquanto não recebe a devida manutenção e não é devolvida à cidade, a Escada Magirus continua fazendo falta em Rondonópolis e causando temor na população, que fica apreensiva diante da possibilidade de acontecer algum incêndio de grandes proporções, principalmente se for em algum prédio alto, que surgem aos montes na cidade.

Um caso bem típico ocorreu nesta sexta-feira (21), quando houve um princípio de incêndio em um apartamento de um prédio localizado na Vila Aurora. Por sorte, o fogo, que começou na fiação elétrica de um ar-condicionado, acabou não se alastrando e sendo debelado pelos Bombeiros sem maiores dificuldades. Mas a situação poderia ter sido diferente, caso o fogo tivesse se alastrado e, aí, a Escada Magirus poderia ser o diferencial para se evitar um desastre maior.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

A situação levou o deputado Thiago Silva (MDB) a procurar o comandante do Corpo de Bombeiros, o coronel BM Alessandro Borges Ferreira, ouvindo deste que, devido ao reajuste nos preços, foi necessário que fosse assinado um novo contrato com a empresa alemã que fabrica as peças, que deve enviar as mesmas e o técnico que irá fazer a manutenção do equipamento ainda entre o final do mês de março a início de abril. “Essa é a previsão para a manutenção, para depois devolver a escada para Rondonópolis. Me garantiram que a população pode ficar tranquila que essa escada não vai para outro local”, informou o parlamentar.

O equipamento foi levado há cerca de dois anos da cidade para receber manutenção, mas até hoje não foi devolvido (Foto – Arquivo)

Thiago conta ainda que ouviu do comandante dos Bombeiros que, por se tratar de peças fabricadas na Alemanha, e como deve vir um técnico junto para operar a manutenção na Escada Maguirus, isso acabou sendo dificultado pela pandemia da Covid-19, e essa demora acabou por defasar os valores acordados, o que acabou gerando um novo atraso na situação. O novo contrato terá o valor de R$ 1.785.231,00. Ele relata ainda que sugeriu que fossem adquiridos equipamentos reservas, para atender alguma emergência ou simplesmente para substituir equipamentos durante e a manutenção.

(Foto – Divulgação)

OUTRO CASO
No dia 28 de março de 2021, também houve um princípio de incêndio na sala de alojamento dos médicos do prédio da Santa Casa, na Vila Birigui, que também foi controlado antes que tomasse conta do estabelecimento. Tanto o caso da semana passada como o da Santa Casa deixa clara a urgência do retorno do equipamento para a cidade, que experimentou um grande aumento no número de construções verticais nos últimos anos, reforçando ainda mais a necessidade da Escada Magirus para a segurança da cidade e seus cidadãos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui