Após muita expectativa aqui em Brasília,o presidente Jair Bolsonaro(PL) sancionou o Orçamento da União para 2022, e manteve os R$ 4,9 bilhões para o fundo eleitoral, o chamado fundão. Ele também deixou intacta a previsão de R$ 1,7 bilhão para reajuste a servidores, que pretende destinar apenas às polícias federais, conforme promessas feitas no ano passado, o que causou reação de outras categorias do funcionalismo público.

CORTES VOLUMOSOS
Por outro lado, Bolsonaro vetou R$ 3,184 bilhões, sendo que do total, R$ 1,823 bilhão correspondem a emendas de comissão e R$ 1,823 bilhão, a despesas discricionárias, aquelas que ficam sob controle dos ministérios. O tamanho do corte é superior aos R$ 2,8 bilhões anunciados por Bolsonaro no fim de semana, mas bem abaixo do valor sugerido pelo Ministério da Economia, que apontou necessidade de recompor R$ 9 bilhões em despesas obrigatórias.

ORÇAMENTO OFICIAL
Vale destacar que este é o único veto do presidente ao texto que saiu do Congresso Nacional, e está publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira (24), assim como a íntegra da lei.Bolsonaro argumentou na justificativa do veto, que essas liberações feriam dispositivos da Constituição e contrariavam o interesse público.

MINISTRA NERVOSA
A semana começa fervilhando na capital do país. A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber encaminhou notícia-crime para a Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.A ação está ligada à demora em incluir as crianças de 5 a 11 anos entre as pessoas a serem vacinadas contra Covid-19, doença causada pelo coronavírus.O pedido de abertura de investigação ocorre por “provável cometimento do crime de prevaricação”, que é quando o agente público falta com suas obrigações.

DEU NA MÍDIA
Paraíso das fake news, o Telegram passou de um simples aplicativo de troca de mensagens para um dos principais vilões da Justiça brasileira. A disseminação de conteúdo falso, violento e, muitas vezes, criminosos, é rotina na plataforma. O Correio passou duas semanas infiltrado no submundo de links secretos do aplicativo e descobriu uma verdadeira “terra sem lei”.
Atualmente, o Telegram está instalado em 53% dos smartphones no país, taxa que era de apenas 15% em 2018, segundo levantamento do site MobileTime em parceria com a empresa de pesquisas on-line Opinion Box. A rede permite grupos com 200 mil pessoas, além de compartilhamento irrestrito

NOVIDADE
O presidente Jair Bolsonaro (PL) lançou nesta segunda-feira (24) o aplicativo “Bolsonaro TV”, descrito como um local unificado para “visualizar todas as redes sociais da família Bolsonaro”. O novo meio de comunicação foi lançado a menos de 10 meses das eleições para unir os apoiadores do chefe do Palácio do Planalto.

REDE SOCIAL
Até o momento, há publicações apenas do presidente da República nas plataformas Telegram, Instagram, YouTube e Twitter. Ao clicar em uma das publicações, o leitor tem as opções de abrir a respectiva rede social e acessar mais detalhes do conteúdo ou compartilhar o post por meio de outros aplicativos de troca de mensagens.

1 COMENTÁRIO

  1. O Congresso Nacional soube muito bem aproveitar o momento pré eleitoral para por o governo na parede (Bolsonaro) exigindo aprovação da maneira como eles querem, pois sabem se o presidente não assinar o valor que eles aprovaram, que é uma montanha de dinheiro, três vezes maior do que o aprovado para a eleição passada, não terá apoio para presidente na próxima eleição e com isso dão uma clara demonstração que não estão lá para beneficiar o país e o povo, mas a eles próprios e, infelizmente sempre foi assim. O Congresso Nacional, em sua maioria, é formado por marginais da pior espécie.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui