Em ano eleitoral, a pauta do momento exigida pela sociedade brasileira, está relacionada com a economia. É por isso que o o presidente Jair Bolsonaro já discute com parlamentares a elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para reduzir o preço dos combustíveis e da energia elétrica, que elevaram a inflação e se tornaram uma dor de cabeça para o Palácio do Planalto em um ano de eleições. A proposta que está sendo desenhada prevê ao menos dois mecanismos, de acordo com pessoas que participam da discussão. Um deles autoriza o governo federal para, em momentos de crise e de forma temporária, reduzir ou até zerar os impostos federais sobre a gasolina, o diesel e a energia elétrica. O outro é a criação de um fundo para aliviar a pressão gerada por uma elevação dos preços.

CAMPANHA
Aliados do presidente Jair Bolsonaro estão preocupados com a escolha de Carlos Bolsonaro para o marketing da campanha de reeleição pelo desempenho que ele teve em 2018. Bolsonaro comunicou ao PL, partido a que se filiou no fim do ano passado, que seu filho Carlos Bolsonaro será o responsável pelo marketing da campanha de reeleição. A família Bolsonaro credita ao vereador o sucesso da comunicação de 2018, quando a campanha espalhou massivamente fake news para atacar adversários e foi acusada de ter feito disparos em massa de mensagens – o que é ilegal. O anúncio feito por Bolsonaro tem preocupado a cúpula dos partidos. A avaliação no Republicanos, por exemplo, é que Bolsonaro ainda não entendeu que não está mais em 2018.

VERBAS PÚBLICAS
Em manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirma que a ação do Partido Novo contra o fundo eleitoral é “criminalização da política” e usa o Judiciário como um instrumento político. A ação da legenda questiona o valor do fundo eleitoral e pede a derrubada de trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que deixa brecha para o fundo eleitoral chegar a R$ 5,7 bilhões. Atualmente, o fundão é de R$ 4,9 bilhões, valor aprovado por acordo no fim de 2021. Integrantes contrários ao fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões conseguiram acordo para diminuir R$ 800 milhões. Caso contrário, o Orçamento de 2022 não teria sido votado.

BOLSONARO INTERNACIONAL
Com o foco na cooperação econômica diante das descobertas recentes de petróleo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) desembarcou nesta quinta-feira (20) em Paramaribo, no Suriname. O foco da viagem está na cooperação econômica diante das descobertas recentes de petróleo e gás na região. Esta é a primeira viagem internacional do mandatário em 2022. Na sexta-feira (21/1), ele deve seguir para Georgetown, na Guiana, país vizinho.O chefe de Estado brasileiro foi convidado para visitar os dois países pelos presidentes do Suriname, Chandrikapersad Santokhi, e da Guiana, Irfaan Ali. Os três chefes de Estado tiveram um almoço de trabalho na capital surinamesa para discutir projetos de interesse comum.

DEU NA MÍDIA
A possibilidade de o Telegram ser vetado nas campanhas eleitorais este ano por não ter uma representação no Brasil para receber e cumprir ordens judiciais entrou na agenda do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Como mostrou o Estadão, um grupo do Ministério Público Federal (MPF) mais ligado ao combate ao cibercrime vinha defendendo essa interpretação internamente e orientando os demais procuradores a respeito.O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, vai levar o tema para debate junto aos demais ministros na volta do recesso. Em nota divulgada pela Corte Eleitoral, ele afirma que “nenhum ator relevante no processo eleitoral de 2022 pode operar no Brasil sem representação jurídica adequada, responsável pelo cumprimento da legislação nacional e das decisões judiciais”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui