Wellington FAgundes – “A grande incógnita com relação ao PL vai continuar sendo como o partido vai se comportar com relação à candidatura de governador e vice… com relação ao Senado, o candidato natural indiscutivelmente é o do atual senador Wellington Fagundes”

1 – SENHORAS E SENHORES, eis que os deputados federais Nelson Barbudo (PSL), que tem base eleitoral na pequena Alto Taquari, e José Medeiros (Podemos) devem mesmo se filiar no Partido Liberal (PL), para fortalecer a ala bolsonarista da sigla no estado, que é comandado pelo grupo do senador Wellington Fagundes. Assim como eles, outras lideranças importantes, como o deputado estadual Delegado Claudinei, também do PSL, e outras pelo estado também devem fazer o mesmo, afinal o presidente Jair Bolsonaro vai precisar de um partido forte e com maioria de aliados para concluir seu mandato com tranquilidade e poder disputar com mais condições de vencer o pleito pela sua reeleição.

A grande incógnita com relação ao PL vai continuar sendo como o partido vai se comportar com relação à candidatura de governador e vice, assunto que até agora não trouxe a público. Com relação ao Senado, o candidato natural indiscutivelmente é o do atual senador Wellington Fagundes, claro, assim como para federal o grupo está bem representado por Barbudo e Medeiros, e tem um bom nome para estadual em Delegado Claudinei.

Então, é de se esperar que pelos próximos dias essa discussão tome corpo e domine os debates internos. Há tempos a Coluna tem dito que sob a liderança de Wellington Fagundes, o PL pode perfeitamente compor com o governador Mauro Mendes (DEM) e apoiar sua reeleição. Pode sofrer alguma resistência interna, mas a possibilidade é bem menos improvável do que muitos creem.

Zé do Pátio – “ No entendimento do prefeito, não faria sentido deixar a administração nesse momento e deixar o seu atual vice, o empresário Aylon Arruda (PSD) inaugurar as obras que ele iniciou”

2 – GANHARAM REFORÇO OS RUMORES de que o prefeito José Carlos do Pátio (SD) não vá mesmo se candidatar a nenhum cargo eletivo em 2022. Esses rumores dizem que Pátio entende que a sua gestão está indo de vento em popa, com muito dinheiro em caixa e com muitas obras importantes para inaugurar, ritmo que deve continuar por mais alguns anos, pelo menos. No entendimento do prefeito, não faria sentido deixar a administração nesse momento e deixar o seu atual vice, o empresário Aylon Arruda (PSD) inaugurar as obras que ele iniciou. E convenhamos, ele não deixa de ter razão, pois a administração da segunda cidade mais importante do estado não é algo que se possa menosprezar e trocá-la por um outro cargo qualquer poderia não ser vantajoso.

3 – OUTRO FATOR QUE PESA NA DECISÃO DE PÁTIO é o fato de que ele pretende montar o tal “palanque” para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no estado, e a melhor maneira de se fazer isso seria não se candidatando, pois assim evitaria a ciumeira que poderia haver por parte de outros candidatos e acabar não ajudando muito ao ex-presidente. Assim, liberaria Aylon Arruda para tentar uma candidatura de deputado federal e poderia trabalhar a eleição de aliados de confiança para cargos proporcionais, como sua esposa Neuma de Morais, e outros. Caso haja dessa forma, e em caso de eleição de Lula, poderia então ser chamado para algum cargo importante no Governo Federal, talvez até um ministério.

4 – E PARECE MESMO CONSUMADA a substituição do líder do prefeito na Câmara Municipal. A troca em si do nome que irá conduzir as articulações com os vereadores em nome do prefeito em si é normal, pois é uma forma de prestigiar os vereadores aliados, entre outros fatores, mas houve um afastamento entre o gestor e seu atual líder, Reginaldo Santos (SD), que não teve alternativas e teve que bater de frente com Pátio em pelo menos duas ocasiões recentemente: quando contrariou o prefeito e defendeu com unhas e dentes o rateio das sobras do Fundeb para os servidores da Educação. Mais recentemente, assumiu a defesa da posse do presidente eleito do Impro, Roberto Carlos de Carvalho, o que aumentou ainda mais a distância entre ele e o prefeito.

5 – OUTRO CASO QUE CHAMA A ATENÇÃO é o do petista Júnior Mendonça, que apesar dos esforços dos dirigentes e parlamentares estaduais da legenda para se aproximarem do prefeito José Carlos do Pátio, que já declarou publicamente em mais de uma ocasião a sua intenção de votar no ex-presidente Lula, mas o parlamentar acabou se vendo obrigar a ser um crítico da administração municipal por conta da situação dos trabalhadores e trabalhadoras que prestam serviços como terceirizados para a prefeitura. O parlamentar, como não poderia deixar de ser, assumiu a defesa dos trabalhadores, que sofrem com uma situação de subemprego, recebendo baixos salários e não tendo garantido nenhum direito trabalhista, como férias, 13º salário e verbas rescisórias.

Nesse caso, é difícil se vislumbrar uma pacificação no curto prazo, pois o prefeito não demonstra a menor intenção de substituir esses terceirizados por funcionários devidamente concursados, como Mendonça defende e como seria o correto. O vereador já até acusou a administração de estar insistindo nesse modelo de contratação de servidores por conta de se tratar de um cabide de emprego, usado pelo prefeito para dar emprego para seus apoiadores e para “atender” os vereadores aliados, usando recurso público para seus fins políticos eleitorais. E a situação iria se agravar ainda mais caso o Tribunal de Contas não tivesse barrado a iniciativa de Pátio de contratar uma nova cooperativa para por sua vez contratar ainda mais terceirizados. Somente esse contrato seria superior a R$ 130 milhões de reais. Tudo na cara dos órgãos fiscalizadores, como o Ministério Público, que estranhamente não toma uma atitude para impedir esse escândalo.
E por hoje é só. Nos vemos daqui a uma semana para continuarmos nossa conversa. Até lá!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui