Novo modelo de ensino será implantado de forma gradual, até 2024 (Foto – Divulgação)

A partir de fevereiro deste ano, estudantes do 1° ano do Ensino Médio de 525 escolas terão acesso à organização curricular do Novo Ensino Médio. Conforme a Lei n° 13.415/2017, o novo modelo de ensino será implantado de forma gradual, até 2024, em todas as escolas que tenham turmas do Ensino Médio.

Além da mudança na carga horária de estudos, que antes era de 800 horas e passa a ser de 1.000 horas anuais, o currículo passa a ser organizado por áreas de conhecimento. O modelo de aprendizagem conta com a inclusão do itinerário formativo, Projeto de Vida, Trilha de Aprofundamento, e Eletivas.

O projeto de vida é o coração do Novo Ensino Médio. É o componente curricular no qual o professor vai fazer um trabalho de orientação com o estudante, durante seu percurso no Ensino Médio, ajudando-o a desenvolver suas habilidades e escolher uma carreira. “Dessa forma, quando concluir a sua formação básica, esse estudante terá um direcionamento para o seu futuro”, destacou o técnico pedagógico do Ensino Médio, Jorge Rodrigues.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

O objetivo do itinerário formativo é desenvolver nos estudantes autonomia e habilidades que permitam uma visão de mundo ampla e heterogênea, promovendo a incorporação de valores universais, como ética, liberdade, democracia, pluralidade, solidariedade e sustentabilidade, e ainda, contribuir na sua preparação para a vida e para o mercado de trabalho. O itinerário também é conhecido como parte diversificada do currículo, no qual os estudantes poderão escolher o que estudar conforme maior aptidão, interesse e a oferta das atividades pelas escolas.

A proposta do Novo Ensino Médio foi elaborada com o objetivo de proporcionar uma educação de qualidade e igualitária para os jovens brasileiros. Para garantir a aprendizagem, a nova organização do currículo possibilita, de forma mais efetiva, a realização de projetos, oficinas, cursos e atividades práticas e significativas, contribuindo para que os estudos se tornem mais atrativos para os estudantes.

“É importante essa mudança na formação do estudante, numa perspectiva de formação integral. Nas nossas salas de aula, temos o estudante do século 21, que é conectado, com muitas informações e possibilidades. Por isso, é preciso ter uma escola que contemple suas necessidades formativas e que seja prazerosa, para que ele continue seus estudos. A sociedade mudou, as transformações vieram e essa é uma grande contribuição que a nova organização curricular traz para nossas escolas”, concluiu a técnica pedagógica do Ensino Médio, Francisca Nailê.

PROJETO DE VIDA
Entre as novidades, durante as aulas, serão desenvolvidas competências e habilidades que auxiliem o estudante a identificar seus valores e a se preparar para o futuro. Definir objetivos e pesquisar sobre faculdades são alguns dos temas abordados. As unidades escolares terão a autonomia para determinar a forma de colocar o componente em prática, uma alternativa é estabelecer uma disciplina específica no currículo. O Projeto de Vida está divido em três pilares:

*Pessoal – aprender a lidar com os próprios sentimentos, respeitar seus limites, descobrir sua identidade, detectar suas principais habilidades e dificuldades, traçar seus desejos;

*Social – refletir sobre sua relação com familiares e colegas, pensar em formas de ajudar a comunidade, entender a realidade do seu entorno;

*Profissional – escolher por qual itinerário formativo vai optar ao longo do ensino médio, decidir se quer fazer faculdade ou curso técnico, pensar em uma carreira para o futuro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui