O deputado avalia que o cidadão não pode perder o direito de ter acesso a determinados locais por causa da falta de comprovante de vacinação (Foto – Divulgação)

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) e a maioria dos parlamentares, em sessão plenária na Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (5), manifestaram ser favoráveis ao Projeto de Lei de n.º 17/2022, que proíbe o poder público de fazer qualquer exigência quanto a apresentação de comprovante de qualquer tipo de vacinação para adentrar aos estabelecimentos públicos e privados no estado de Mato Grosso. A segunda votação está prevista para fevereiro e, com a aprovação, será encaminhada para ser sancionada pelo Poder Executivo Estadual.

“Já estava virando uma novela esse passaporte da vacina. Ainda bem que já tivemos avanços na Assembleia Legislativa com a aprovação do projeto de lei, em primeira votação. Nas últimas sessões, o pessoal estava vindo à Casa de Leis para acompanhar e obter uma resposta. Votei a favor da liberdade, pois sou contra o passaporte da vacina. Não podemos perder os nossos direitos constitucionais de ir e vir de forma livre e digna”, posiciona Claudinei.

OBRIGATORIEDADE
Com o aval do Supremo Tribunal Federal (STF), os municípios mato-grossenses ainda poderão, por meio da aplicação de decretos, decidir se exigem ou não a documentação à população para poderem ter acesso aos locais públicos. “Sobre essa questão da autonomia dos municípios, será outro passo e discussão a ser tratado. Mas, realmente precisávamos avançar e dar um retorno para a sociedade em relação a exigência do passaporte da vacina”, frisa o parlamentar.

A matéria, que é de autoria do deputado estadual Gilberto Cattani (PSL), assinala que os cidadãos não serão obrigados a apresentarem documentos que comprovem a vacinação contra a Covid-19 e suas variantes. Também, veda a discriminação e o tratamento diferenciado ou constrangedor de qualquer natureza a qualquer pessoa para garantir a preservação de sua integridade física, moral ou intelectual.

1 COMENTÁRIO

  1. Um pouco intrigante o deputado estadual Claudinei se posicionar contra o passaporte de vacina tendo em vista que ele era delegado antes de se tornar deputado, então ele tem que se posicionar pela segurança das pessoas e o passaporte de vacina tem como objetivo justamente reunir pessoas vacinadas no mesmo ambiente para assim não ter um viral maior de contaminação. Mas não é surpreendente essa posição do deputado pois ele é bolsonarista e o próprio Bolsonaro é contrário a qualquer tipo de vacinação, o que é extremamente perigoso. A respeito da liberdade das pessoas, se fomos pensar dessa forma, então as leis de trânsito podem ser violadas a partir de agora pois temos que respeitar a liberdade do outro, né?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui