(*) Jerry T. Mill

“(…) fundamentally, your mission statement becomes your constitution, the solid expression of your vision and values. It becomes the criterion by which you measure everything else in your life.” (1) -Stephen Richards Covey (1932-2012), American writer

De acordo com os contextos ou as situações em que aparecem, as palavras (assim como as ações) podem ter significado e entendimento diferentes tanto do ponto de vista de quem faz uso delas quanto daqueles que, por assim dizer, são seus receptores. É o que podemos dizer dos termos visão e missão (às vezes grafados com iniciais maiúsculas), cujo sentido mais comum e generalizado é ‘ação ou efeito de ver’ e ‘tarefa ou função que se tem a obrigação de desempenhar’, respectivamente; dentre outras opções, é lógico. No entanto, a amplitude e a compreensão do significado dessas duas palavras podem ir mais muito mais além, dear reader.

No mundo corporativo, a propósito, a missão é a razão de ser do negócio, o motivo de a empresa existir; enquanto que a missão é a situação ou o destino em que a empresa deseja chegar num determinado período. Ambas são valiosas ferramentas de gestão organizacional, quase sempre servindo de combustível indispensável para a busca do resultado almejado. Juntamente com os valores adotados pela empresa, elas não devem ser confundidas com palavras e frases aleatórias que costumam apenas decorar as paredes das recepções de alguns estabelecimentos. Afinal, quando realmente compreendidas, elas podem ser decisivas no que se refere ao engajamento de líderes e colaboradores no processo de se estabelecer o planejamento estratégico e a linha de conduta pessoal e profissional de cada um e de todos, por exemplo.

O fato é que micro, pequenas, médias e grandes empresas podem modificar o seu assim chamado MVV (missão, visão e valores) de acordo com a sua necessidade e realidade, sendo ele o fruto da reflexão sobre o presente e o futuro do empreendimento. De modo similar, entidades e instituições sem fins econômicos, como o Rotary International (RI), podem seguir essa fórmula, em busca de novas adequações às suas demandas mais urgentes e atuais. Algo que os clubes afiliados também podem adotar, de modo integral ou apenas em parte.

É o que se pode conferir na seção About Rotary, no site rotary.org, em inglês, em que estão a mission e a vision da entidade, com a respectiva tradução, se assim o internauta desejar. Eis a primeira: “We provide service to others, promote integrity, and advance world understanding, goodwill, and peace through our fellowship of business, professional, and community leaders.” No site, ela é traduzida assim: “Servir ao próximo, difundir a integridade e promover a boa vontade, paz e compreensão mundial por meio da consolidação de boas relações entre líderes profissionais, empresariais e comunitários.” Por outro lado, quanto à visão da entidade, temos: “Together, we see a world where people unite and take action to create lasting change – across the globe, in our communities, and in ourselves.” Desta vez, a versão para o português aparece assim: “Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras em si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo.”

Como deu para perceber, embora não seja uma empresa que almeja aferir lucros, o RI, através dos seus milhares de clubes de Rotary espalhados pelo mundo, está em constante adequação à realidade contemporânea, em que a adoção da cultura e da gestão empresarial no seu dia a dia tem trazido muitas mudanças na lida com as receitas e as despesas internas e externas dos clubes de serviço, bem como um maior e melhor acompanhamento no decorrer do ano rotário no que se refere à conscientização quanto a ser mais ativo e participativo nas reuniões semanais e nas campanhas ou nos projetos em andamento por parte daqueles que compõem o quadro associativo e o conselho diretor de cada Rotary Club.
Saber gerir e respeitar a gestão. Isto também é Rotary!

1 “(…) fundamentalmente, a sua missão se torna a sua constituição, a expressão concreta da sua visão e dos seus valores. Ela passa a ser o critério pelo qual você mensura tudo na sua vida.” -Stephen Richards Covey (1932-2012), escritor americano

(*) Mestre em Estudos de Linguagem (UFMT), presidente da Associação Livre de Cultura Anglo-Americana (ALCAA), membro-fundador da ARL (Academia Rondonopolitana de Letras) e associado honorário do Rotary Club de Rondonópolis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui