Local que deve ser desocupado na Vila Canaã (Foto – Divulgação)

Moradores da Vila Canaã, que devem deixar suas casas por estarem em uma área de ocupação irregular, estão receosos em saírem do bairro, perderem suas residências e acabarem sem recursos para o aluguel e sem uma casa para morar. A área está sendo desocupada pela Prefeitura e 21 famílias precisam deixar o local. Na semana passada, a Câmara Municipal chegou a aprovar um projeto de lei do Poder Executivo para conceder o aluguel social para as 21 famílias mas, até o momento, ninguém deixou a área.

Mauro Elias Delguingaro e Damasceno dos Santos são moradores da Vila Canaã há mais de 10 anos, assim como as demais famílias que devem deixar a área de ocupação, e alegam que estão com medo de sair de suas casas, estas serem demolidas e acabarem sem ter onde morar. Assim como eles, outras famílias estão na mesma situação e dizem ter receio de sair na atual situação, que consideram incerta.

O problema, conforme explicam, quanto ao aluguel social, está no prazo de duração do contrato proposto pela Prefeitura, que é de quatro meses, com possibilidade de prorrogação para igual período, bem como o fato dos contratos terem que ser confeccionados em nome dos moradores. “Nós achamos o prazo muito pequeno. Quem garante que depois de oito meses nós teremos casa para morar?”, questiona Mauro.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

“Também tem a questão de que o contrato do aluguel precisa estar no nome dos moradores. Não pode ser no nome da Prefeitura. Temos preocupação da Prefeitura não pagar corretamente o aluguel e a gente ter que tirar do bolso um dinheiro que nem tem, ser despejado e ficar sem casa”, acrescentou Dasmaceno.

Eles dizem que a desconfiança tem motivo, já que moram no local há mais de 10 anos e aguardam, desde então, serem encaminhados para uma casa para famílias de baixa renda. “Nós fomos inscritos nos programas da habitação para receber uma casa há vários anos e até hoje não conseguimos. Agora temos que sair das nossas casas sem ter certeza que vamos ter onde morar. Nos ofereceram um terreno naquele loteamento Maria Amélia de Araújo, mas não tem rede de água nem energia lá. Não vamos aceitar isso. Queremos uma casa para poder sair da nossa”, avisou Mauro.

O aluguel social que deve ser pago aos moradores da área ocupada na Vila Canaã, de acordo com informações do Município, é de R$ 1.100,00 por mês, com contrato de quatro meses, prorrogável por mais quatro meses.
O aluguel social é um benefício emergencial que é pago para atender famílias em situação de urgência como aquelas em área de risco.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui