A semana encerrou quente na capital do país com a notícia de que a Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para abrir um inquérito e investigar o envolvimento de deputados e senadores por meio das emendas de relator, conhecidas como “orçamento secreto” ou “paralelo”. A suspeita é que parlamentares tenham usado o artifício em desvios de verbas.

NOMES AOS BOIS
O objetivo é identificar os nomes dos autores de emendas orçamentárias que já tiveram irregularidades comprovadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) na compra de tratores com preços superfaturados. A apuração se dá em meio à polêmica falta de transparência das emendas de relator, que levou o STF a suspender os pagamentos da modalidade de todo o ano de 2021.

ATÉ QUANDO?
E continua a novela da filiação do presidente Jair Bolsonaro ao Partido Liberal (PL). Segundo interlocutores do presidente da República e do presidente do PL, Valdemar Costa, o compromisso assumido após o estresse que adiou a filiação de Bolsonaro por alguns dias foi o de que o partido não fará alianças formais nos estados em 2022 com adversários de Bolsonaro nas eleições de 2022.

ENTENDIMENTO
Embora o compromisso não tenha sido comunicado dessa forma explícita na reunião dos caciques do PL, a mensagem foi plenamente compreendida pelos líderes do partido, e confirmada por aliados de Valdemar a bolsonaristas em conversas pessoais e telefônicas logo depois do encontro de quarta-feira em Brasília.

DEU NA MÍDIA
A PGR (Procuradoria-Geral da República) se posicionou contra o pedido apresentado ao STF (Supremo Tribunal Federal) que visa obrigar a sabatina de André Mendonça para uma vaga na Corte. Os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) entraram com um mandado de segurança junto ao Supremo para exigir que o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), o senador Davi Alcolumbre (DEMAP), dê andamento à questão. O ex-ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para uma vaga no Supremo em julho. Desde então, não houve andamento no processo.

BRIGA POR PATERNIDADE
Com a proximidade do período eleitoral, o governo tenta viabilizar o Auxílio Brasil e construir uma boa vitrine social para as eleições de 2022, outro projeto social que perpassa gestões entra para a disputa de paternidade na corrida presidencial: a transposição do Rio São Francisco. De olho no ativo político representado pela entrega de água a regiões secas do Nordeste, três dos principais candidatos ao Palácio do Planalto – o presidente Jair Bolsonaro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Ciro Gomes – tentam manter as digitais na mega obra de infraestrutura. A previsão, porém, é de que a obra só deve ser concluída em 2024. Ou seja, será uma herança para o próximo presidente.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui