Claudinei Lopes: “ainda não bati o martelo, mas é quase certo que mude para um partido que me permita apoiar o presidente Bolsonaro e o Medeiros” (Foto – Arquivo)

O deputado estadual Claudinei Lopes, o Delegado Claudinei (PSL), diz que dificilmente permanecerá na sigla que o elegeu, que termina as tratativas para se fundir ao DEM, formando o União Brasil. Candidato à reeleição, ele diz não ter definido seus próximos passos e para qual partido deve ir, mas deixa claro que não abre mão do apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao deputado José Medeiros (Pode), que articula para ser candidato ao Senado.

No entendimento do deputado, a nova sigla deverá ser comandada no estado pelos atuais membros do DEM e ele deve migrar para um partido que apoie a reeleição do presidente Jair Bolsonaro, que negocia sua filiação ao PL, e ao projeto de Medeiros (Pode).

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

“Não tem nada definido, ainda não me reuni com as lideranças que me apoiam, até porque ainda falta formalizar (a fusão) no TSE. Mas sabemos das articulações e a direção (do novo partido) deve ficar com o DEM, que tem o governador e senador e é naturalmente mais forte”, externou.

Como mantém uma postura crítica ao governador Mauro Mendes, que é filiado ao DEM, e como o novo partido que resultará da fusão com o PSL dificilmente apoiará a reeleição de Bolsonaro, ele já fala na possibilidade deixar a sigla. “Ainda devem chamar uma reunião para discutirmos como as coisas vão ficar. Ainda não bati o martelo, mas é quase certo que mude para um partido que me permita apoiar o presidente Bolsonaro e o Medeiros”, reiterou Claudinei.

Candidato à reeleição para estadual, ele diz que não vê possibilidade de se filiar ao PL, sigla ao qual Bolsonaro já anunciou que deve se filiar no próximo dia 22, já que a sigla é comandada no estado pelo senador Wellington Fagundes, que deve sair à reeleição, o que por sua vez inviabilizaria o seu apoio a Medeiros, que articula para sair candidato ao Senado com apoio da base bolsonarista de Mato Grosso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui