Governador Mauro Mendes, secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, lançam programa Carbono Neutro MT (Foto – Mayke Toscano)

O Estado de Mato Grosso possui quatro categorias do selo Carbono Neutro MT, que são concedidas a pessoas físicas e jurídicas como reconhecimento de que executam ações para neutralizar as emissões de carbono. O objetivo é incentivar a aplicação de medidas que levarão Mato Grosso a neutralizar a emissão de gases do efeito estufa até 2035.

A estratégia de certificação de parceiros tem sido apresentada por Mato Grosso aos investidores em reuniões durante a Conferência do Clima (COP26) em Glasgow, na Escócia. As categorias do selo Carbono Neutro são: compromissário, apoiador, carbono 0%, e financiador.

Mato Grosso é o primeiro estado a criar uma certificação por meio da concessão de selos a compromissários. O selo é importante para as empresas que querem mostrar para o mercado, nacional e internacional, o seu compromisso com o meio ambiente, avalia a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

“Para consolidar o programa, tivemos a iniciativa de criar os selos Carbono Neutro MT. O selo financiador é conferido aos que investirem nas ações públicas ou privadas, para obtenção da meta de neutralização. O selo de apoiador é para as entidades que representam um segmento da sociedade, e que conseguem fomentar e fazer um elo com o privado para alcance das metas”, explica.

A gestora conta ainda que o selo de compromissário é destinado aos que efetivamente assumirem o compromisso de, na sua propriedade rural, planta industrial, ou empreendimento, reduzir ou remover as reduções. Já o selo Carbono 0% será destinado aos que alcançarem a neutralização.

Um exemplo de como a iniciativa privada pode atuar é a preservação de áreas de reserva legal. Dos 62% do território de Mato Grosso que estão preservados, cerca de 28% já estão declarados no Cadastro Ambiental Rural como áreas de reserva legal e preservação permanente dentro dos imóveis rurais. Além de termos áreas públicas preservadas sob a gestão do Estado, o setor privado também contribui para a preservação.

Outra estratégia que faz parte da contribuição do setor privado para o alcance das metas é a ampliação da produção sem aumentar a área desmatada. Mato Grosso também tem o potencial de ampliar a área de lavoura integrada com a pecuária. Já são 11 milhões de hectares utilizados neste sistema.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui