(*) Francisco Assis

Levantei-me descontrolado
Com uma ressaca louca
Pela estatística outro homem largado
Com um gosto amargo na boca.
Meu primeiro dia de solteiro
Sem a companhia da mulher
E na cama sobrando um travesseiro
Seja o que o destino quiser.
Sentei no primeiro barzinho
Pedi uma cerveja gelada
Junto um copo com colarinho
Pois a pressão está disparada.
Vou enfrentar a vida sozinho
Pra isso tenho que beber
Confesso que há um espinho
Me tirando a paz o prazer.
Pedi uma seleção sertaneja
Daquelas que fazem chorar
Espero que o povo não me veja
Se a minha fraqueza pegar.
Chamei a garçonete na mesa
Uma pureza em simpatia
Falei com classe por gentileza
Me atenda por todo o dia.
E se acaso causar vexame
Venha logo e fale comigo
Qualquer desacordo reclame
Tenha em seu cliente um amigo.
Feche a conta de todo consumo
A senha te passarei no privado
Estou perdido sem rumo
Sem a mulher do meu lado.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar – email: [email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui