19/10/2021 – Nº 642 – Ano 15

O exercício da liderança nunca foi algo fácil para a maioria das pessoas. Muitos aprenderam a ser chefes, mas ainda penam para ser líderes. Devemos lembrar que a liderança é dinâmica e a mudança é constante, exigindo adaptação diuturna.

A liderança possui ao menos três ingredientes: o perfil dos liderados, o ambiente ou organização e o próprio perfil do líder. O problema é que todos esses três também mudam com o passar do tempo e talvez por isso essa combinação da liderança não seja tão óbvia e fácil.

Na prática não existem milagres e muitas estratégias têm sido usadas e testadas para melhorar os resultados da liderança, contudo há uma prática simples e que tem resultado comprovado, nunca muda e nunca sai de moda, mas que na maioria das vezes é negligenciada e subestimada: o elogio.

Sim, há um poder ilimitado na sua aplicação. Poucas vezes é capaz de ser medido tamanho é sua influência e o modo como reverbera no ambiente, sobre os liderados e sobre si próprio, o líder. Sua importância nunca pode e muito menos deve ser menosprezada. Não me refiro ao elogio demagógico, fortuito, que realmente é nefasto e ao invés de contribuir corrompe ainda mais a relação de confiança entre líder e equipe.

Ouço com frequência que o elogio deve ser usado com moderação para não perder o sentido e a importância. É óbvio que não deve ser adotado a qualquer momento e sem justificativa evidente, mas percebe-se que sob esse pretexto da moderação acaba nem sendo usado ou apenas em casos excepcionais, e assim não consegue cumprir seu papel real.

É certo que ninguém, nenhum liderado, apenas erra. Provavelmente acertam mais do que erram, mas ainda assim a maioria dos gestores apenas tem como foco as metas, a dedicação, a performance e o ponto de chegada. Sabem exigir, corrigir e bater. Mas esquecem de assoprar, elogiar e instigar.
Se você é gestor, elogie. Sem medo. Não é sinal de fraqueza. É sinal de segurança. Você não será menos importante ou menos respeitado por isso. Pelo contrário, aumentará sua autoridade e será mais amado, mais seguido e mais reconhecido. Seus liderados saberão reconhecer quando o elogio for genuíno.

Aparentemente essa escassez em elogiar vem em boa medida por três aspectos: (I) o fato de que a maioria dos gestores simplesmente foi criado desde a infância ouvindo mais reprimendas e nãos do que sins e estímulos; (II) não tem a devida noção da importância e de como ele é um ativo importante da produtividade e, por fim, (III) porque a maioria de nós também não sabe a sua própria importância, como exemplo sobre os liderados, notadamente quando exercemos o papel de gerentes, pais ou professores.

O entendimento é relativamente simples na relação entre elogio e crítica. Quando sou criticado, o meu inconsciente entende que estou no caminho errado e normalmente para, trava ou recua. Quando recebo um elogio meu sistema recebe a mensagem como um estímulo de que eu posso ir mais rápido e pelo caminho que estou. Por isso medir e alternar tanto os elogios como as correções são uma ferramenta tão valiosa.

Outra expressão associada e utilizada erroneamente com frequência é ‘chamar a atenção’, normalmente relacionada a feedback negativo, uma crítica. Mas na essência, chamar a atenção não é muito mais do que destacar algum aspecto. Então, você como gestor, pode simplesmente chamar a atenção de alguém ou da equipe fazendo um elogio sobre algo que conseguiram completar dentro do prazo ou com resultado acima do esperado.

Todos gostam de receber um elogio, principalmente quando ele vem de alguém que está acima deles em termos de hierarquia ou de admiração. Se for as duas coisas então o poder é extraordinário e o efeito será multiplicador.

Faça um exercício agora. Crie o hábito. Encontre seu liderado, seu colega ou seu cônjuge e elogie alguma atitude ou algum aspecto pessoal. O cérebro, principalmente o sistema automático, criará novas memórias e vai reagir positivamente. Os resultados certamente virão.
Até a próxima.

(*) Eleri Hamer escreve esta coluna às terças-feiras. É empreendedor, Diretor da GoJob Brasil, Business Advisor, Talent Hunter, Mentor e Articulista – [email protected] – www.linkedin.com/in/elerihamer – Originalmente publicado no Jornal A Tribuna – www.atribunamt.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui