O sistema prisional de Mato Grosso tem aproximadamente 500 mulheres privadas de liberdade (Foto – Divulgação/TJMT)

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e Socioeducativo de Mato Grosso (GMF) está desenvolvendo o projeto Apodere-se Mulher, destinado às mulheres privadas de liberdade das seis unidades prisionais femininas de Mato Grosso. O projeto atua para o desenvolvimento humano e emocional das reeducandas, levando também conhecimento sobre o papel e atuação da mulher na sociedade atual.

O trabalho é focado em quatro eixos: Atenção Básica, Formação Humana, Jurídico e Saúde. Os temas são desenvolvidos através de diferentes atividades, que incluem palestras, debates, oficinas, yoga e contação de histórias, todas desenvolvidas por mulheres voluntárias.

“O objetivo do projeto é construir um elo a partir da sororidade, conectando as voluntárias, todas mulheres, bem como as gestoras dessa ideia, às mulheres em situação de cárcere a partir dos eixos formação humana, saúde e jurídico. Contemplando a máxima de que não há nada mais empoderador do que apoderar-se do conhecimento”, explica a responsável pelo setor de projetos do GMF, Alianna Cardoso Vançan.

Desde julho já foram ministradas quatro palestras, todas de forma on-line, transmitidas pelo YouTube, e disponibilizadas nas seis unidades prisionais femininas. Os temas já desenvolvidos foram: Oficina de Yoga e Escrita Criativa, “Trajetória de Vida – Repensar o crime e o que de fato as levou a cometer o crime”, “Resgate Histórico da Mulher na Sociedade e a Singularidade na História de Vida” e “Feminismo e Empoderamento Feminino – Como alcançar a igualdade entre homens e mulheres hoje”.

Nos próximos encontros, serão abordados tópicos como: saúde mental; autoestima, gordofobia, pressão estética, patologização do corpo; resiliência: sobrevivência/resistir; práticas Judiciais: direitos afetos à execução penal.

O projeto será desenvolvido até dezembro, com um total de 50 horas, com certificação para as participantes. Essas horas serão contadas como remissão para as participantes, isto é, poderão ser descontadas no total da pena de cada uma delas.

O sistema prisional de Mato Grosso tem aproximadamente 500 mulheres privadas de liberdade, em seis unidades por todo estado, sendo que pouco mais de metade delas fica na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May em Cuiabá.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui