Ao meio-dia de um domingo, em 12/10/1941, nasceu o pequeno Franz Wilhelm Lax na cidade de Hildesheim, norte da Alemanha. Em homenagem a São Francisco (Franziskus), o quarto de seis filhos ganhou o nome de Franz. Viveu com sua família em uma casa de campo que ficava mais afastada do centro da pequena cidade, o que favoreceu a família quando chegou o exército durante a Segunda Guerra Mundial e bombardeou a região central da cidade, destruindo quase tudo. A pressão do ataque à cidade ainda alcançou sua casa e a de vizinhos destruindo alguns vidros das janelas. “A imagem daquele Céu Azul cheio de aviões que brilhavam com o reflexo do Sol nunca sairá de minha memória”.

Em um internato dos dominicanos Franz estudou o “ginásio”, trabalhou no campo de morangos por um ano, depois foi estudar e aprender o ofício de pintor no projeto “Pintores da Igreja” entre os anos de 1957 e 1960, que lhe garantiu trabalho em várias firmas. Ao perceber que lhe faltavam forças ingressou na associação católica de esportes “força jovem alemã” – DJK em sua sigla alemã, e fez atletismo. Em 1961 foi chamado para o serviço militar, onde serviu por 15 meses.

No mês de outubro de 1962 iniciou, na cidade de Munique- Baviera, seu mestrado em pintura que durou 4 anos. Neste mesmo período deu-se início na igreja católica ao concílio Vaticano segundo, do qual participou o franciscano alemão e primeiro bispo de Rondonópolis Dom Vunibaldo Talleur. Durante os intervalos de final de ano do conselho, Dom Vunibaldo seguia de trem para seu país de origem e Munique era sua primeira parada. Sabendo da presença do filho de seu amigo naquela cidade, Dom Vunibaldo o convidou para acompanhar nas visitas às famílias e congregações religiosas visando conquistar novos missionários e missionárias para a diocese mato-grossense.

Após concluir seu mestrado, Franz aceitou o convite de atuar como missionário leigo em Rondonópolis entre maio de 1966 e maio de 1967. Na oportunidade, morou com o bispo em sua residência oficial onde também morava o jovem padre Lothar. Como missionário, Franz ajudava padre Lothar, o bispo e outros padres nas celebrações visitas e atuações pastorais. Trabalhou em uma grande firma e de 1968 a 1972 foi reitor da “Malerschule” – Faculdade de mestrado para pintores que, sob sua reitoria, formou 500 mestres em pintura.

Seu pai, Dr. August Lax, era amigo e benfeitor do trabalho de dom Vunibaldo em Rondonópolis e em 1969 Franz disse ao pai que ele deveria conhecer pessoalmente o trabalho pastoral e social em Rondonópolis mantidos por suas doações ao amigo bispo. Então, mais uma vez, agora na companhia de seu pai, Franz visita Rondonópolis e região por um mês.
Percebendo sua vocação desde a infância, respondeu ao chamado em 1972 iniciando os estudos de teologia em uma turma inaugural, em que os alunos já exerciam outra profissão. Essa turma, que foi a primeira a nível mundial, formou 12 estudantes de várias dioceses católicas. Pelas mãos do bispo Heinrich Maria Janssen, Franz foi ordenado padre na catedral de Hildesheim no dia 15/01/1977. Por três anos trabalhou como vigário paroquial em Hannover e ainda como professor de ensino religioso em três escolas diferentes pela manhã. À tarde realizava as visitas aos doentes, casas de idosos e os trabalhos pastorais como responsável pela pastoral da Juventude.

Desde seus estudos rezava pedindo que, se Deus o permitisse ser padre, que também eu permitisse ser missionário em Mato Grosso. Então assim, em 1980 pediu ao bispo permissão para vir a Rondonópolis como missionário, o que lhe foi permitido sendo enviado à diocese de Rondonópolis como padre missionário emprestado por cinco anos que já se tornaram 41 anos de missão.

Chegando a Rondonópolis em setembro de 1980, foi designado como vigário da paróquia São José Operário auxiliando o padre Lothar nos trabalhos pastorais e sociais até o dia 10/10/1993, quando foi empossado pároco da recém-criada paróquia de São José |Esposo no Conjunto São José.
Dentre seus vários trabalhos pastorais e sociais, se destacam a atuação na Obra Kolping do Mato Grosso como assistente eclesiástico entre os anos de 1981 e 2010, criando comunidades Kolping no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Também a formação da comissão missionária regional – COMIRE e a nível nacional – COMINA em preparação ao Congresso missionário Latino-americano em Belo Horizonte-MG. Nesta oportunidade, com a ajuda da Senhora Rosi, visitou as 10 dioceses e prelazias do Mato Grosso para a criação da obra da infância missionária. E com o casal Floreci e Antônio Vilela iniciou as atividades sociais, da hoje associação KoBra, atendendo crianças em situação de vulnerabilidade social. Incentivou e acompanhou a criação da Pastoral do Negro em Mato Grosso e animou na participação política dos fiéis católicos nos diversos partidos e níveis governamentais.
Retornando à paróquia São José Operário, em 2010, assumiu a missão de visitar os doentes nos hospitais e mantém a celebração semanal da Santa Missa na capela do hospital Santa Casa, missão esta assumida por ele desde 1998.

Completando 80 anos de idade, padre Franz continua sua missão pastoral e social com ardor, visitando os doentes e os menos favorecidos, acompanhando de perto seus sofrimentos e levando alívio para a alma e, com a ajuda de sua família e benfeitores alemães, assistindo as famílias e projetos sociais em nossa cidade.

Em seu incansável servir, nos mostra o rosto do Cristo que ama seu povo e sua igreja com simplicidade e misericórdia.
Obrigado padre Franz por sua doação de vida em favor dos pequenos. Rogamos a Deus que lhe conceda saúde e longa vida.
Feliz aniversário!

(*) São os votos da Cáritas Diocesana de Rondonópolis

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui