Marisvaldo Gonçalves: “Ele e outras lideranças políticas de Rondonópolis veem o União Brasil com muito entusiamo e oportunidade política…”

1 – SENHORAS E SENHORES,
como vimos esta semana e foi publicado pelo A TRIBUNA, a fusão entre o DEM e o PSL é vista como positiva em Rondonópolis, pois na avaliação das lideranças locais a fusão formará um partido grande. Alguns vão ficar descontentes e devem deixar a nova sigla que se chamará União Brasil, com o número 44. Mas novos filiados virão já que será um partido novo e com novos projetos. Além de tudo, o novo partido terá um vereador na Câmara Municipal, o Marisvaldo Gonçalves, hoje no PSL. A princípio, o União Brasil também conta com o deputado estadual Claudinei Lopes, que hoje está no PSL. Só que ele já teria anunciado que irá se filiar a outro partido assim que abrir a janela para troca de legendas sem a perda do mandato, em março do ano que vem, pois ele acompanhará o presidente Jair Bolsonaro, ainda sem partido.

COM ESSA FUSÃO,
somente na Assembleia Legislativa de Mato Grosso são seis deputados do PSL que poderão passar para o União Brasil, que é a maior bancada de MT, além do governador Mauro Mendes do Dem e que também irá pertencer ao União Brasil.

Segundo o vereador Marisvaldo Gonçalves, o novo partido também será o com a maior bancada na Câmara Federal. “Esperamos que com essa nova força, tenhamos mais recursos para nossa cidade. Na minha opinião será um grande avanço para o futuro de Rondonópolis, Mato Grosso e principalmente para o Brasil“, avalia o vereador do PSL e que vai permanecer no União Brasil.

2 – SE DE UM LADO
o vereador Marisvaldo Gonçalves e outras lideranças políticas veem o União Brasil com muito entusiamo e oportunidade política, de outro o que se fala é que o deputado estadual delegado Claudinei (PSL) faz parte do grupo de parlamentares da legenda que não digeriram a fusão com o DEM, e deverá migra para outra sigla, uma vez que é bolsonarista raiz e oposição ao governador Mauro Mendes (DEM), que será a principal figura no novo partido. O comentário geral é que o Delegado deve aceitar o convite do deputado federal José Medeiros e se filiar ao Podemos, onde a promessa é de grande espaço político para disputar a reeleição. No Podemos Claudinei ficará livre para continuar oposição ao governador e ganhar holofotes. O que se comenta é que Claudinei e Medeiros irão editar uma “dobradinha” em busca dos “votos conservadores”, que poderão garantir a reeleição de ambos.

Além disso, quebram a cabeça para encontrar um nome que represente o tal “novo” em Mato Grosso para contrapor o projeto de releição de Mauro Mendes ao governo. O dois deputados estariam aliados ao prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), que é descontente com Mendes. Mas o grupo até agora não encontrou um cabeça de chapa para disputar a eleição de governador.

O Colunista tem uma ideia para Claudinei e Medeiros, trata-se da empresária Marchiane Fritzen (PSL), que foi convidada por lideranças locais e estaduais do MDB para concorrer a um cargo eletivo pela sigla nas eleições de 2022, seja de deputada estadual ou federal. E porquê não a governadora. Fica a dica em, já que nesta semana que passou, a empresária recebeu a visita da deputada estadual Janaína Riva (MDB) e do vice-presidente do partido em Rondonópolis, vereador Adonias Fernandes para convidá-la para se filiar no MDB.

Thiago Muniz: “O empresário e ex-vereador deverá ficar no União Brasil e disputar um cargo nas próximas eleições…”

3 – E QUEM PERMANECER
no União Brasil, pelo visto terá que engolir mesmo o governador Mauro Mendes, que pelas suas declarações é possível perceber o seu entusiasmo com a nova sigla, diante da sua avaliação de que a fusão á algo “inevitável” para o processo político entre os partidos no Brasil. Segundo Mendes, a fusão entre DEM e PSL compartilha com seu desejo pela redução no número de partidos existentes no Brasil. Na avaliação do governador, muitos dos brasileiros tem um pensamento muito negativo dos partidos políticos, em parte pelo comportamento dos partidos e também pelo comportamento de muitos políticos. Então é preciso começar o movimento contrário a isso para resgatar a credibilidade da política, e a fusão de partido é um passo importante para diminuir o número de partidos, que atualmente virou um monte de siglas e um monte de cartórios como instrumentos do processo eleitoral voltados à ações nada democráticas e éticas. Ainda na avaliação de Mauro Mendes, quase 40 partidos não representam a democracia e nem a vontade popular.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

 

4 – ADIVINHEM
quem poderá conduzir o União Brasil em Mato Grosso?. Mas já vamos revelar aqui na Coluna que poderá ser o ex-tudo na política Júlio Campos. Isso mesmo, os irmãos Campos – com o Jaime também – poderão continuar a frente do poder político deste grupo em Mato Grosso. E quem já revelou a lebre foi o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco, que defende o nome de Júlio Campos para comandar a sigla. Mas o que tudo indica é que a executiva nacional do novo partido ainda mantenha na presidência estadual da sigla o ex-deputado federal Fábio Garcia, que preside o Dem e é ligado ao governador Mauro Mendes.

5- AINDA SOBRE O
União Brasil, o que já se comenta em Rondonópolis é que o partido poderá ter candidatura local nas eleições do ano que vem para deputado estadual ou federal, na pessoa do ex-vereador Thiago Muniz ou de Ibrahim Zaher, que poderá deixar o PSB e se filiar na nova sigla. Além disso, o grupo do antigo Dem e seus simpatizantes ainda tem outros nomes que poderão entrar na disputa eleitoral do próximo ano.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui