(*) Hermélio Silva

Eu vim devolver
uma mala,
que estava na calçada.
Vou deixar aqui na sala.

Eu sei que ela lhe pertence,
que você só aguardava
um momento…
porque ela é pesada.

Eu sei,
que está faltando alguém,
para lhe trazer a paz.
Abraça-me, vem!

Eu lhe peço,
não vá embora,
espere, a porta reabrirá,
sem demora.

Eu sugiro,
deixa com Ele,
põe na mão de Deus.
Eu sou o filho d’Ele.

(*) Hermélio Silva é escritor e membro fundador da Academia Rondonopolitana de Letras, cadeira número 6

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui