Em uma clara demonstração de que está optando pelo entendimento, após semanas de atritos entre os Poderes, o presidente Jair Bolsonaro fez um aceno na tarde desta terça-feira (14) para o Legislativo e o Judiciário. Ao discursar em evento no Planalto, perguntou: “O que seria do Executivo sem o Senado, sem a Câmara e, por que não dizer?, em muitos momentos, sem o nosso Supremo Tribunal Federal?”. No momento, Bolsonaro estava dividindo o palco com o ministro Dias Toffoli, do STF, e com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).Ele ainda afirmou que o “bom entendimento” entre os Poderes “é a alegria do nosso povo”.

DISCURSO A ONU
Neste domingo (19) Bolsonaro embarca em Nova York, onde vai abrir presencialmente a Assembleia Geral da ONU , acompanhado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro. Eles ficam até dia 21 à tarde, embarcando logo após a participação de Bolsonaro na Assembleia. Indicativo de que não terá agenda oficial com outros chefes de Estado depois do seu discurso.O discurso do presidente está em elaboração na mesa do chanceler Carlos Alberto França, que deve acompanhá-lo na viagem.

AMOR INTERNACIONAL
O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante o evento de boxe “Triller Fight Club” realizado no último fim de semana, na Flórida. Trump foi um dos comentaristas e aproveitou a participação para exaltar também Eduardo Bolsonaro, com quem se encontrou recentemente.“Eu tenho que lhe dizer: eu amo o presidente do Brasil. Ele e o filho dele são ótimas pessoas. Ele trabalha duro para ajudar o seu povo. Espero que ele esteja bem”, disse o ex-presidente norte-americano.

PALAVRA DE ACM
Segundo avaliação de ACM Neto, presidente nacional do Democratas, que participou do Macro Day 2021, evento promovido pelo BTG Pactual, nesta terça-feira (14) não há hoje clima político no país para impeachment. É absolutamente infrutífera [a possibilidade] e não dará resultados. O presidente da Câmara é aliado e até hoje tem mostrado lealdade com o governo. O vice-presidente estava ao lado [de Bolsonaro] nas manifestações. Então, quando os dois apoiam o presidente, não vejo essa possibilidade [de impeachment]”, disse.

BASTIDORES
Aqui em Brasília, quem ouve o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia no Senado, Omar Aziz, defender o impeachment do presidente Jair Bolsonaro, até imagina que está diante de um digno senador da República. É bom lembrar, que Aziz é o mesmo que teve o passaporte apreendido, a esposa e um irmão preso, todos indiciados por suspeita de envolvimento em esquema que desviou R$ 200 milhões da Saúde do Amazonas. Segue dando lições de moral na CPI.

OS INVESTIGADOS
Absurdo! Pelo menos 19 dos 81 senadores são réus ou alvos de algum tipo de investigação em andamento no país (veja lista mais abaixo). Juntos, eles respondem a 38 inquéritos (procedimentos preliminares que podem resultar em processo) ou ações penais (processos que podem acabar em condenação). Os dados são de levantamento exclusivo do Congresso em Foco com base em informações disponíveis nos sites do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos tribunais regionais federais. Também foram acessados os tribunais regionais eleitorais (TREs) e os tribunais de Justiça de cada estado da federação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui