(*) Jorge Manoel

Do cruzamento entre o ‘equus asinus’ com o ‘equus caballus’
nasceu o personagem do qual vos falo. Use sua imaginação.
Sem argumento, sem limite e totalmente sem noção.
Porém, conseguiu iludir e convencer uma grande nação.
Deveras deve ter se inspirado na jumenta do Balaão.
Que no velho testamento a besta questiona o homem:
-Por que me bate? -Porque você me fez de tolo. …
Aqui, ela primeiro sofreu e apanhou para depois falar.
Já seu irmão, dos dias atuais, falou primeiro e depois
surrou a nação por inteiro. Do alto do palanque se ouviu
longe a voz do burro falante. Animal usado para descrever
alguém desprovido de inteligência. Porém, o ‘equus asinus’
não merece tal ofensa, pois é capaz e de muita eficiência.
Já seu análogo é nulo e de alto grau em deficiência.
Não é ‘fake’. Afirmação verídica e com muitas evidências.
A jumenta, do Balaão, calou e voltou a sua essência.
Já a besta atual continua vociferando pelas ruas.

(*) Jorge Manoel, jornalista, professor, interprete de libras e poeta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui