Em todos os anos analisados, os homens foram a maioria das vítimas, em relação às mulheres (Foto – Divulgação)

Com o objetivo de contribuir com a campanha Setembro Amarelo, a Superintendência do Observatório de Segurança Pública da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) elaborou um relatório detalhado das ocorrências de suicídio em Mato Grosso. O estudo é publicado neste 10 de setembro, considerado o Dia Mundial de Prevenção.

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, divulgado em julho pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apontam que o número de suicídios no Brasil em 2020 foi de 12.895, com variação de 0,4% em relação a 2019, quando foram registrados 12.745 casos.

Em contraponto ao dado nacional, Mato Grosso apresentou aumento considerável de suicídios de 18%, passando de 226 casos em 2019 para 267 no ano passado. Já no primeiro semestre de 2021, o estado teve redução. Foram 118 casos, sendo que no mesmo período do ano passado foram 132. No acumulado de 2016 a 2020 (janeiro a dezembro) e janeiro a julho de 2021, foram 1.190 ocorrências.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

No detalhamento das ocorrências, em todos os anos analisados, os homens foram a maioria das vítimas, em relação às mulheres. Dos 1.190 casos, em 922, ou seja, em 77,4% as vítimas foram do sexo masculino, enquanto 268 foram do sexo feminino. O local do fato coincide como residência das vítimas, para ambos os sexos.

O relatório ressalta ainda que as mulheres jovens que sofrem violência doméstica têm maior risco de cometer suicídio, com base em uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde entre 2011 e 2015. Ela mostrou que mulheres que tinham notificação prévia de violência doméstica apresentavam 30 vezes mais risco de morrerem por suicídio quando comparadas com mulheres sem notificação prévia de violência.

PRIMEIRO SEMESTRE

Dos 118 suicídios identificados no primeiro semestre de 2021 em Mato Grosso, quatro deles ocorreram logo após a vítima cometer o crime de feminicídio. O mês de junho apresentou o maior número de casos, 24. A sexta-feira foi o dia da semana com maior incidência de registros (22), seguida pela quarta-feira (20). O período matutino apresenta-se como a faixa horária com maior número de casos, sendo que entre as 6h e 11h59, ocorreram 47 dos 118 suicídios levantados. Em seguida, com 28 casos, foi identificado o intervalo entre 18h e 23h59.

A faixa etária de 35 a 64 anos também coincide como maioria para homens e mulheres vítimas de suicídio. Foram 45 casos masculinos e 10 femininos. A segunda maior faixa etária é de 18 a 24 anos, com 14 homens vítimas e 3 mulheres.

A superintendente do Observatório de Segurança Pública, que é vinculado à Adjunta de Inteligência da Sesp-MT, Tatiana Pilger, explica que o relatório visa colaborar com políticas estruturais para a prevenção do suicídio. “São necessárias medidas de proteção socioeconômica a pessoas de maior vulnerabilidade, assim como ações de educação em saúde e auxílio da mídia para divulgação dos canais de atenção psicossocial e prevenção ao suicídio”.

SAÚDE E BEM ESTAR

Políticas que visam à equidade em saúde e a melhoria da qualidade de vida e dos modos de viver são destacadas como fundamentais pela coordenadora de Promoção e Humanização da Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), Rosiene Rosa Pires.

“Nestes anos a SES-MT vem dedicando as ações e diálogos em prol da promoção da vida e prevenção do suicídio no Setembro Amarelo e também durante o ano. Vemos a necessidade de investir na promoção da saúde, como política de inclusão e justiça social, fomentando os direitos fundamentais a todos, que perpassam pelos determinantes sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais”. 

Segundo ela, a ampliação de centros especializados também é importante, pois a existência de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) nos municípios reduz em 14% o risco de suicídio. Para 2021, o órgão dará visibilidade à promoção da cultura da paz. “Vamos abordar as tecnologias sociais que favoreçam a mediação de conflitos diante de situações de tensão social. Outro ponto é a inserção das práticas corporais, atividades físicas, arte, cultura e lazer como estratégias para a promoção da vida e, consequentemente, o enfrentamento ao suicídio”.

Ela lembra que nos dias 14 e 15 de setembro a SES-MT realizará o IV Encontro Intersetorial de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio no Setembro Amarelo. O evento será transmitido pelo canal YouTube da Escola de Saúde Pública, a partir das 8h30.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui