Adilson do Naboreiro: “A ação do vereador eleito, de sair e voltar para a Secretaria de Agricultura, foi um verdadeiro tiro no pé…”

1 – SENHORES E SENHORAS,
todos nós sabemos que a pauta das discussões da política local está em torno da proposta de antecipação da eleição para nova mesa diretora da Câmara Municipal para o biênio 2023/2024. Neste contexto, muitos desdobramentos ocorreram e o que mais chamou atenção foi a saída da titularidade da Secretaria Municipal de Agricultura do vereador eleito Adilson do Naboreiro (SD), onde após isso declarou apoio ao grupo que tenta antecipar a eleição interna da Casa de Leis. No entanto, o que todo mundo ainda está sem entender foi que Adilson abandonou Zé do Pátio, tacou tudo no ventilador denunciando a falta de apoio do prefeito à sua pasta, e simplesmente do “nada” voltou para os “braços” de Pátio. Naboreiro chegou a fazer todos os trâmites oficiais para reassumir o cargo de vereador na Câmara, inclusive com publicações oficiais e ainda participou da reunião da ordem do dia dos vereadores.

Mas no dia da sessão, sumiu e até o suplente de vereador doutor Manoel da Silva Neto (SD) ficou sem saber se ficaria ou não na sessão passada da quarta-feira (28). Nos olhares do Colunista, politicamente Naboreiro fechou duas portas, sendo uma com o prefeito, apesar de ter voltado para a gestão municipal e outra, principalmente, com os 14 vereadores com quem fez um compromisso político para ajudar o grupo no projeto de antecipação da eleição da mesa diretora. Imaginamos que apesar dele ter voltado para o prefeito, o sentimento de “traição política” ainda permanece no Paço Municipal e principalmente no legislativo.

Com que cara agora o secretário de Agricultura irá levar as demandas da pasta e pedir apoio dos vereadores? Está claro que lá na Casa de Leis o sentimento de traição também impera. Esta ação do vereador eleito para nós, foi um verdadeiro “tiro no pé”. E contudo, o vereador parece não está progredindo politicamente nem como secretário, nem como vereador eleito.

Argemiro Ferreira: “Irá, ou não, assumir a direção da Santa Casa, a um possível convite do Grupo de Mulheres…”

2 – SE NABOREIRO SAIU
da gestão de Pátio e depois voltou, quem poderá sair de uma vez da Coder será o atual diretor presidente Argemiro Ferreira. Ocorre que o Grupo de Mulheres em Prol de Rondonópolis, o teria convidado para assumir a administração da Santa Casa. Ao que se sabe, o poder de arregimentação política de Argemiro e sua competência administrativa é o que teria chamado a atenção do grupo. Ao que sabemos, Pátio leva a fama de não gostar muito do Grupo de Mulheres e logo se Argemiro fizer mesmo tal escolha, teria que romper politicamente com Zé do Pátio.

Ou será que Pátio, estrategicamente agora, aprovaria Argemiro na Santa Casa? Imaginamos, já que Argemiro é um dos braços direito de Pátio, logo o prefeito estaria com um grande trunfo nas mãos, ou seja, o de gerir a Santa Casa mesmo que indiretamente.

3 – RECENTEMENTE
o empresário Cláudio Ferreira, O Paisagista (DC), o qual nas eleições passadas foi candidato a prefeito e ficou na terceira posição com 17.498 votos, vem pondo em dúvida o sistema de urnas eletrônicas, pois entende que pode haver fraudes no processo e defende o voto auditável, acompanhando a campanha do presidente Bolsonaro. Ele explicou que as falhas podem estar inclusive na apuração dos votos.

Mas sinceramente para a Coluna, esta autenticação reivindicada por meio do voto impresso já é feita mediante o Boletim de Urna (BU), que é o documento emitido em cada seção eleitoral após a conclusão da votação em uma urna eletrônica. É dessa forma que o Sistema Eleitoral Brasileiro explica ao cidadão o seu voto, que fortalece a credibilidade e a transparência do sistema eletrônico de votação do país.

O Boletim de Urna traz as seguintes informações dos dados registrados na urna eletrônica: total de votos por partido; total de votos por candidato; total de votos nulos e em branco; total de comparecimento em voto; identificação da seção e da zona eleitoral; hora do encerramento da eleição; código interno da urna eletrônica; e sequência de caracteres para a validação do boletim. O BU é emitido em número de cópias não inferior a cinco, a partir de sua imagem existente na mídia fixa.

Uma cópia do boletim é gravada na mídia removível, criptografada, para ser utilizada durante a fase de apuração dos resultados da urna. Mas se caso existir divergência entre o que foi emitido antes da apuração, ai sim é coisa para se preocupar. Mas hoje em dia, quem já contou os votos emitidos nos Boletins de Urnas? Ao invés de pedir o voto impresso, é só contar o boletim de urna. Este serviço de autenticação já existe. Temos é que prestar atenção e fazer menos politicalha.

4 – O POSSÍVEL PROJETO
do prefeito Zé do Pátio (SD) em disputar o governo estadual, a cada dia vem ganhando opositores em Rondonópolis e região. Depois do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), começar a ampliar a sua base na região, com o mesmo propósito de Pátio, agora o deputado estadual Max Russi (PSB), presidente da Assembleia Legislativa, também vai começar a fortalecer as suas bases por aqui. Ocorre que o deputado estadual agora é cotado a candidato vice-governador na chapa do governador Mauro Mendes (Dem), o qual deverá disputar a reeleição nas próximas eleições.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui