A correção no percentual de vacinados também deve ser feita pela Secretaria Municipal de Saúde nos próximos dias (Foto – Arquivo)

O Ministério da Saúde (MS) atualizou a estimativa de população maior que 18 anos que deve ser vacinada contra a Covid-19 em Rondonópolis. A quantidade, que tem como base dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) de 2010, foi corrigida em mais de 31 mil habitantes com mais de 18 anos.

Com a alteração, o percentual de vacinados na cidade caiu automaticamente, passando de 82% do público vacinável imunizado com a primeira dose, para 67,34%. Os que receberam duas doses ou dose única, somam agora, com a mudança de cálculo, apenas 23,07% da população maior de 18 anos.

 

 

———  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Para se chegar ao novo percentual, levou-se em consideração a quantidade de vacinados em Rondonópolis até a segunda-feira (26), que era de 116.084 pessoas que receberam a primeira dose e 39.779 que se imunizaram com duas doses ou com dose única. Assim, até a última segunda-feira, 67,34% das pessoas com mais de 18 anos receberam a primeira dose na cidade, e 23,07% delas tomaram as duas doses ou dose única. Os dados com a nova estimativa da população a ser vacinada estão disponíveis no site LocalizaSUS do Ministério da Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde explicou que até a semana anterior, a estimativa do Ministério da Saúde apontava que o público maior de 18 anos que deveria ser vacinado na cidade era de 141.190 pessoas. Nesta semana, a estimativa foi corrigida, e passou para 172.383. Agora são 31.193 pessoas a mais que devem ser vacinadas em Rondonópolis com mais de 18 anos. A Saúde disse que também não descarta que o MS possa fazer novas alterações, já que a estimativa está baseada no Censo de 2010. A correção no percentual de vacinados também deve ser feita pela Secretaria Municipal de Saúde nos próximos dias.

O erro na estimativa do Ministério da Saúde já vinha sendo levantado pelo Município, pois o número de vacinados por faixa etária, em alguns casos, estava acima da estimativa. Caso não fosse corrigido, os prejuízos para a população certamente ocorreriam.

Com a população a ser vacinada subestimada, a cidade receberia uma quantidade de doses de vacina insuficiente para atender seus habitantes. Além disso, não seria possível verificar de forma correta o percentual da população que recebeu a vacina, o que traria problemas para identificar a imunidade coletiva, que é necessária para o combate da pandemia.

A atualização não foi específica para Rondonópolis. Houve aumento na estimativa de população com mais de 18 anos por parte do Ministério da Saúde na maioria dos municípios brasileiros, o que alterou também o público a ser vacinado no Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui