Câmara Municipal: impasse na votação do projeto que antecipa a eleição da mesa diretora para o biênio 2023/2024 (Foto – Arquivo)

O projeto de lei que prevê a antecipação da eleição da nova mesa diretora da Câmara Municipal não foi para votação na sessão de ontem (28). Agora, a previsão é que a proposta seja apreciada na próxima semana. Mas, para ter validade, necessita de duas votações.

De acordo com o vereador Subtenente Guinancio (PSDB), o projeto foi aprovado ontem na Comissão de Constituição e Justiça. “No entanto, por um ato discricionário do presidente da Casa de Leis, vereador Roni Magnani, ele encerrou a sessão e a proposta ficou para ser votada na próxima semana”, criticou o tucano.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Conforme o vereador Adonias Fernandes (MDB), um dos líderes do G-15, um deputado estadual estaria pressionando parlamentares do grupo. Este deputado, que o emedebista não citou o nome, estaria trabalhando para inviabilizar o bloco, que tenta aprovar antecipação da eleição da mesa diretora que vai comandar a Casa de Leis no biênio 2023/2024.

“Existe deputado ligando para quase todos os vereadores. Por quê? Quem tem que administrar a Câmara são os vereadores que o povo elegeu. Não é interferência de deputado não”, avisou Fernandes.

Até então, o grupo dos 15 é formado pelos vereadores Júnior Mendonça (PT), Dr. José Felipe (Pode), Paulo Schuh (DC), Kallynka Meireles (PRB), Marisvaldo Gonçalves (PSL), Kaza Grande (DC), Subtenente Guinancio (PSDB), Ozéias Reis (PP), Batista da Coder (SD), Reginaldo Santos (SD), Marildes Ferreira (PSB), Investigador Gerson (MDB), Adonias Fernandes (MDB), Adilson do Naboreiro (SD) e Cido Silva (PSC).

Porém, existe uma desconfiança do grupo de que o vereador Adilson do Naboreiro possa abandonar o bloco dos 15.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui